Blogue luso-brasileiro
Sábado, 13 de Janeiro de 2018
ARMANDO ALEXANDRE DOS SANTOS - O SONHO DA SRA. PILATOS

                      

 

 

 

 

 

 

Armando Alexandre dos Santos.jpg

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Um sonho registrado apenas de passagem, na Bíblia, foi muito discutido e até hoje não existe consenso sobre seu real significado. Refiro-me ao célebre sonho que teve a esposa do governador romano Pôncio Pilatos, que ficou muito preocupada com a prisão de Jesus Cristo, porque sabia ser ele justo e inocente e receava que seu marido o condenasse. Tal preocupação a atormentou nos sonhos e a levou a aconselhar o marido a que nada fizesse contra Jesus. A referência bíblica é, como disse, apenas de passagem: “Enquanto ele estava sentado no tribunal, sua mulher mandou-lhe dizer: Nada haja entre ti e esse justo, porque fui hoje muito atormentada em sonhos por causa dele” (Mateus, 27,19).

Tal episódio foi objeto de interpretações conflitantes e bastante curiosas, por parte dos exegetas e comentaristas da Escritura. Há autores que consideram o sonho da esposa de Pilatos como tipicamente natural, sem nenhuma intervenção de natureza sobrenatural, tendo sido produzido tão-só pela grande preocupação que a prisão de Jesus Cristo tinha causado na mulher. Essa é a posição do erudito Pe. Henri Lesêtre, autor do verbete “Songe” do clássico “Dictionnaire de la Bible”, de Fulcran  Vigouroux (Paris, 1911).

 

O exegeta Cornélio a Lapide cita, nos Commentaria in Matthaeum, cap. XXVII, 18, alguns autores que atribuem a inspiração dos sonhos da mulher de Pilatos a Deus, pelo ministério de algum santo anjo. Entre esses autores, elenca Orígenes, S. Hilário, S. Jerônimo, S. João Crisóstomo, Eutímio, Teofilato, Jansênio, Maldonado, S. Agostinho e S. Ambrósio. As razões dessa posição: 1) era conveniente que a inocência de Cristo, que já tinha sido declarada de público por Pilatos, também o fosse por alguém do sexo feminino, de modo que todos os elementos da humanidade estivessem representados nessa declaração; 2) convinha, como expôs S. João Crisóstomo, que sonhasse a mulher e não o marido, porque se Pilatos tivesse recebido o sonho tê-lo-ia guardado para si, em segredo, e não o teria tornado público, diante dos príncipes e dos judeus, como fez a mulher: 3) convinha que a mulher de Pilatos (que se chamava, segundo a tradição, Cláudia Prócula, e parecia ser pessoa honesta, piedosa e inclinada à misericórdia), viesse a conhecer, por meio desses sonhos, que Jesus era o Messias Salvador do mundo, nele cresse e, assim, se salvasse. A Lapide cita ainda o Evangelho de Nicodemos “que, apesar de apócrifo, contém muitas coisas verdadeiras e dignas de respeito”, segundo o qual, quando a mensagem de Prócula foi transmitida em voz alta a Pilatos, os judeus que acusavam a Jesus interpelaram o governador, dizendo: “Porventura não te dissemos que esse homem faz malefícios? Eis que ele mandou um sonho à tua mulher”.

A Lapide também registra que alguns autores, entre os quais São Bernardo, São Cipriano (ou quem quer que tenha escrito o Sermão da Paixão atribuído a São Cipriano), Caietano, Lirano, Cartusiano,  Barônio e Barrádio consideram que os sonhos da mulher de Pilatos lhe foram enviados pelo demônio, porque este já estava convencido, àquela altura da Paixão, de que Jesus era o Messias Salvador, e queria impedir que por sua morte fosse salva a humanidade.  

 

 

 Na iconografia cristã, há exemplos de representações nestes dois últimos sentidos, pois ora aparece a mulher dormindo e tendo ao seu lado um anjo inspirador, ora ela aparece com um demônio que lhe incute o sonho.

 

 

 

 

 

ARMANDO ALEXANDRE DOS SANTOS é historiador e jornalista profissional, membro do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro e da Academia Portuguesa da História.

 

 

 

 

 



publicado por solpaz às 18:25
link do post | comentar | favorito
|

Europa
mais sobre mim
Brasil
arquivos

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

pesquisar
 
Foz Coa
links