Blogue luso-brasileiro
Sábado, 13 de Janeiro de 2018
MARIA CRISTINA CASTILHO DE ANDRADE - VIVÊNCIAS E CONVIVÊNCIAS LITERÁRIAS

 

 

 

 

 

 

 

 

2vl2knt.jpg

 

 

 

 

 

 

 

 


 
Vivências e convivências literárias acontecem, mesmo que não se conheça pessoalmente o escritor. Habitam-me diversos deles e delas. Algumas vezes, ressurgem em um fato novo ou em uma lembrança. É assim faz anos, como com Clarice Lispector, por exemplo, sobre a qual fiz meu TCC na faculdade, em especial a respeito do livro “Água Viva”. Foi ela que destacou: “Abro a janela e me sinto responsável pelo mundo”. Traduz-me em tantas coisas! Bem antes de Clarice, passei a me relacionar com Machado de Assis, por influência de meu pai e de um amigo dele, Sr. Hermelindo Scavone. Isso sem dizer das personagens infantis das histórias lidas e contadas por minha mãe. Meu pai e Sr. Hermelindo carregavam Machado de Assis em diferentes conversas e recordações de locais no Rio Janeiro. Como apreciava ouvi-los. No momento, Machado de Assis tem me retornado através de mensagens que recebo de meu amigo de alma com poesia e música: Fernando Diniz Marcondes, jundiaiense que reside em Salvador. 
Senti muito a morte do escritor e jornalista Carlos Heitor Cony. Gostava demais, há décadas, de lê-lo. Era a primeira crônica que eu buscava, aos domingos, na Folha de São Paulo. Mesmo que a opinião dele sobre um determinado assunto não fosse a minha, lia até o fim. É preciso conviver com conceitos diversos. Sua escrita era perfeita, sua inteligência brilhante e sua memória surpreendente. Incrível como ele costurava, em seus textos, filosofia, história, mitologia, passado, presente... E comunicava-se, igualmente, muito bem com crianças e adolescentes. “O Mistério das Aranhas Verdes”, li mais de uma vez.
Existia, também, o Cony do lirismo e do amor à Mila, uma de suas Setters, a cachorrinha que fez ninho em seu coração. Escreveu inúmeras vezes sobre ela na “Gazeta do Povo”. Fantástica a colocação dele sobre a cachorrinha, no dia em que ele perdeu o pai: “Naquela noite não pulou, nem olhou meus olhos. Cabeça baixa, rabo entre as pernas, ela sabia. Não avisara a ninguém, mas a ela precisava dizer. Encostou-se aos meus joelhos, cúmplice e solidária. E ela, que do mundo lá fora esperava um pai, do mundo lá fora recolheu um órfão”. E sua crônica, na morte de Mila, encerra-se dessa forma: “Até o último momento, olhou para mim, me escolhendo e me aceitando. Levei-a, em meus braços, apoiada em meu peito. Apertei-a com força, sabendo que ela seria maior do que a saudade”.
Cony permanecerá como lição de coerência e saber literário na releitura de seus textos.
 
 

 

MARIA CRISTINA CASTILHO DE ANDRADE -

 Professora e cronista. Coordenadora diocesana da Pastoral da Mulher – Santa Maria Madalena/ Magdala. Jundiaí, Brasil.



publicado por solpaz às 18:12
link do post | comentar | favorito
|

Europa
mais sobre mim
Brasil
arquivos

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

pesquisar
 
Foz Coa
links