PAZ - Blogue luso-brasileiro
Segunda-feira, 27 de Setembro de 2010
RENATA IACOVINO - OUTROS TEMPOS

                       

 

 

            “Estou vendendo um realejo/Quem vai levar/Quem vai levar/Quem comprar leva consigo/Todo encanto que ele traz/Leva o mar, a amada, o amigo/O ouro, a prata, a praça, a paz/E de quebra leva o harpejo/De sua valsa se agradar/Estou vendendo um realejo/Quem vai levar/Quem vai levar...”.

            A singeleza destes versos retrata um tempo – não muito distante – que não volta mais. Há tempo que volte? Vejo-o passar, seguindo seu rumo. Como dizia um outro poeta, “o tempo não para”.

            Os versos de “Realejo”, canção de 1967, de Chico Buarque, nos retratam com simplicidade a perda de valores, que vão se tornando quanto mais dispensáveis, mais necessários. A ingenuidade não é motivo para vergonha, mas para se obter mais afetividade e sentimento humano. Dito assim, parece pleonasmo. Seria... no entanto, o que vemos hoje é uma humanidade que caminha para a ausência de sentimentos, então, para a ausência de si mesma, de sua essência precípua.

            O humanismo foi um movimento intelectual que fomentou, no Renascimento, a valorização do saber crítico, saber este do qual estamos nos distanciando.

            Quem vai querer comprar um realejo em tempos de aquisições fúteis, de felicidades fabricadas, de desejos autômatos e de ausência de palavras?

            O encantamento é substituído pela fugacidade, a partilha pelo individualismo, e seguimos como quem obedece a uma cartilha que prega a inversão de valores.

            Há outros versos de resistência compostos por Chico na mesma fase, que já mostrava uma recusa ao mundo industrializado, contaminado pelo consumismo e pela massificação.

            “O homem da rua/Fica só por teimosia/Não encontra companhia/Mas pra casa não vai não/Em casa a roda/Já mudou, que a moda muda/A roda é triste, a roda é muda/Em volta lá da televisão/No céu a lua/Surge grande e muito prosa/Dá uma volta graciosa/Pra chamar as atenções/O homem da rua/Que da lua está distante/Por ser nego bem falante/Fala só com seus botões”.

            Mesmo que o tempo não regresse, a poesia de Caetano sopra: “Ainda assim acredito/Ser possível reunirmo-nos/Tempo, Tempo, Tempo, Tempo/Num outro nível de vínculo/Tempo, Tempo, Tempo, Tempo”. 

 

Renata Iacovino, escritora e cantora / reiacovino.blog.uol.com.br /
reval.nafoto.net / reiacovino@uol.com.br



publicado por Luso-brasileiro às 19:21
link do post | favorito

Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres




mais sobre mim
arquivos

Dezembro 2020

Novembro 2020

Outubro 2020

Setembro 2020

Agosto 2020

Julho 2020

Junho 2020

Maio 2020

Abril 2020

Março 2020

Fevereiro 2020

Janeiro 2020

Dezembro 2019

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

pesquisar
 
links