PAZ - Blogue luso-brasileiro
Segunda-feira, 27 de Dezembro de 2010
Cdf. ALUIZIO DA MATA - TRANSFERÊNCIAS DE PADRES

                       

 

 

Recebi de um amigo um texto do qual resolvi fazer o tema deste artigo: Transferência de padres de uma paróquia para outra. O que ele escreve é quase todo o artigo que eu já pensara em escrever, pois sintetiza bem o que penso.

Eis o texto dele: “Segundo o Direito Canônico, um pároco deve ficar de 6 a 9 anos em uma paróquia e depois deve ser transferido para outra paróquia. Quem decreta a transferência dos padres diocesanos é o bispo; e quem decreta a transferência dos padres religiosos é o Superior Provincial da Ordem Religiosa. Troca o prefeito, troca o presidente do Conselho de Pastoral, troca o Presidente da República. A troca de um padre pode ser muito pacífica; mas, em outras vezes é traumática. Os paroquianos sempre esperam que o padre novo que vem seja melhor do que aquele que se despediu. Há padres que deixam uma história construída na comunidade. Há outros, cuja memória não é das melhores. Queremos ouvir a sua opinião: na sua paróquia, houve troca de padre? Como foi a experiência? O que é maior: a saudade do padre que foi transferido? Ou é maior a esperança do padre que acabou de chegar?”
É um assunto difícil de ser abordado. Convivi com muitos padres e privei da amizade de alguns. Depois de passados muitos anos, posso fazer algumas observações. Existem paróquias onde o padre é tão querido que sua substituição causa espanto e tristeza. Em outros casos, os paroquianos se sentiam até aliviados.
Os motivos dessa reação dos paroquianos são quase os mesmos em todos os lugares. Por incrível que pareça, os padres com os quais privei uma convivência mais amiga eram os que se dedicavam de corpo e alma pelos membros da sua comunidade; eram solícitos, eram disponíveis e não se via neles nenhuma ambição pessoal. Às vezes, até passavam dificuldade, mas nunca vi nenhum deles reclamar ou pedir para ser substituído. Outra coisa que chamava atenção era que quando chegaram à nova paróquia não foram logo abandonando as obras do pároco anterior. Procuravam trocar ideias com os Conselhos Paroquiais. Viam o que era bom e que estava dando certo e continuavam a obra, sem querer mudar apenas para impor a sua marca pessoal. E o resultado era sempre bom, granjeando muito mais simpatias.
No entanto, já vi casos em que o novo sacerdote ao chegar na paróquia, mudou tudo da administração anterior. Não procurou nem saber a opinião dos paroquianos, granjeando antipatias.

Isto acontece também com a nomeação de novos bispos. Já vi bispos chegarem a uma diocese e lá permanecerem por muitos anos e criar um ambiente tão bom entre os padres e os paroquianos que ao saírem foram pranteados. Mas, já vi bispo ser tão autoritário que entrava em choque até com os sacerdotes. E alguns até foram transferidos para outros lugares.
Um dia, perguntei a um dos sacerdotes sobre a atuação de um novo bispo. Ele, caridosamente, preferiu não dar opinião.    
Como disse o meu amigo cujo texto transcrevi acima: “Há padres que deixam uma história construída na comunidade.”

Fazendo um paralelo, tomara que fosse assim também com os paroquianos e os vicentinos, que deveriam deixar saudade ao mudar de paróquia ou conferência ou quando forem se encontrar com Deus.

Prefiro me lembrar desses muitos amigos que tive e ainda tenho, pois alguns deles já morreram e outros ainda estão por aqui. A esses, as comunidades devem muito e Deus há de recompensá-los. 

Se pudesse ser feita uma pesquisa em cada paróquia e em cada diocese, talvez o resultado fosse surpreender a muitos...

 

ALUIZIO DA MATA - Vicentino, Sete Lagoas, Brasil 





publicado por Luso-brasileiro às 16:53
link do post | favorito

Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres




mais sobre mim
arquivos

Junho 2021

Maio 2021

Abril 2021

Março 2021

Fevereiro 2021

Janeiro 2021

Dezembro 2020

Novembro 2020

Outubro 2020

Setembro 2020

Agosto 2020

Julho 2020

Junho 2020

Maio 2020

Abril 2020

Março 2020

Fevereiro 2020

Janeiro 2020

Dezembro 2019

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

pesquisar
 
links