PAZ - Blogue luso-brasileiro
Segunda-feira, 28 de Dezembro de 2009
JOÃO CARLOS JOSÉ MARTINELLI - UM ÓTIMO 2010 PARA TODOS, PRESERVANDO-SE A BIODIVERSIDADE E ELIMINANDO-SE TODO TIPO DE PRECONCEITO !

 

 

 

                   

 

 

         

 

Os especialistas concordam que o desmatamento é atualmente a principal causa da perda de biodiversidade no planeta. Mas o peso do desmate deve mudar até 2050, quando as mudanças climáticas terão relevância ainda maior. “É preciso aumentar o nível de conscientização sobre o que significará para o planeta a perda de tantas espécies”, afirmou recentemente Anne Larigauderie, diretora executiva do Diversitas, programa estabelecido pelo Conselho Internacional para a Ciência em parceria com a Unesco.

 

A ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS – ONU deliberou 2010 como ANO INTERNACIONAL DA BIODIVERSIDADE, também o indicando como o ANO INTERNACIONAL DA APROXIMAÇÃO DAS CULTURAS. Ao justificar a primeira celebração, o órgão internacional expressa a sua preocupação com as graves repercussões “sociais, econômicas, ambientais e culturais” derivadas da perigosa situação de diminuição da biodiversidade, que sempre foi a base da vida destacando os empobrecimentos geral, material e espiritual que ela provoca. Nesta trilha, ressalte-se que, ao participar de um seminário sobre economia da biodiversidade em Campinas em setembro último, o economista e pesquisador do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (Pnuma), Pavan Sukhdev, defendeu que a sua preservação é “a verdade inconveniente” no planeta – é um tema que poucos procuram discutir. Enquanto as mudanças climáticas, segundo ele, representam “a verdade conveniente” – as pessoas levam o assunto para o debate, embora ninguém queira assumir sua cota de responsabilidade. “A culpa é sempre de outro”, disse.

“Devemos reconhecer que estamos lidando com vida e que temos de ter cuidado com a maneira com que fazemos isso. Uma das perguntas a serem feitas é o que vai acontecer se os negócios permanecerem como estão. Se continuarmos, acabaremos com uma perda significativa de biodiversidade, algo do tamanho da Austrália”, alertou. Para ele, é preciso que os líderes se antecipem e evitem mudanças no lugar de apenas contabilizar perdas de biodiversidade. “Não é apenas uma questão de dinheiro. É preciso olhar para a questão humana do problema. Em 40 anos, vamos acabar tendo de comer plâncton, algo não muito atraente”, completou.

            Com efeito, o ritmo de perda da biodiversidade ao redor do mundo se acelerou nos últimos anos e será impossível cumprir com os compromissos internacionais de reduzir essa tendência até 2010, advertiu um grupo de cientistas em Toronto, Canadá no último dia 11 de outubro. Em abril de 2003, ministros de 123 países se comprometeram a reduzir de forma significativa até o ano que vem a taxa de perda local, nacional e regional. A intenção do compromisso era atenuar a pobreza e beneficiar toda a Terra.

            Seis anos depois, no entanto, o ritmo não só não diminuiu como aumentou e chegou a extremos alarmantes. “Com toda certeza não vamos conseguir reduzir a perda da biodiversidade até 2010 e, portanto, descumpriremos as metas ambientais dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio de 2015”, afirmou Georgina Mace, vice-presidente do “Diversitas”, programa  estabelecido pelo Conselho Internacional para a Ciência em parceria com a Unesco. “O ritmo de extinção de espécies é pelo menos cem vezes mais elevado do que o que existia antes da aparição do ser humano”, alertou.

            Os especialistas concordam que o desmatamento é atualmente a principal causa da perda de biodiversidade no planeta. Mas o peso do desmate deve mudar até 2050, quando as mudanças climáticas terão relevância ainda maior. “É preciso aumentar o nível de conscientização sobre o que significará para o planeta a perda de tantas espécies”, disse Anne Larigauderie, diretora executiva do Diversitas (O Estado- “Perda da biodiversidade aumentou, alerta entidade” – 12/10/2009- A -13).

            Por outro lado, a Declaração da Unesco de 1978 sobre Raça e Preconceito Racial afirma que todos os seres humanos provem de um tronco comum e são iguais em dignidade e direitos. De acordo com o prof. Celso Lafer, “este reconhecimento da unidade do gênero humano não exclui, prossegue a Declaração, o pluralismo do direito à diversidade, ou seja, o direito à diferença, que não pode servir de pretexto ao preconceito racial. A Declaração da Unesco de 2001 retoma o tema  da diversidade cultural, considerando-a tão necessária para a humanidade quanto a biodiversidade o é para a natureza. Registra também a importância de assegurar, num mundo compartilhado, uma interação harmônica entre povos e grupos com identidades culturais distintas. Neste contexto, aponta que a diversidade cultural não pode ser invocada para desrespeitar direitos humanos garantidos pelo direito internacional” (O Estado de São Paulo – 19.12.2004-p. A-2).

Assim, os nossos sinceros votos de que o Novo Ano que se avizinha traga maior conscientização de todos sobre as importantes questões para o equilíbrio ecológico e que prevaleça um respeito consciente sobre a diversidade cultural, em benefício da própria consolidação do Direito!

                        REFLEXÃO

o mundo completa outra volta ao redor do sol e marca o início de um novo ano. Vivemos a expectativa de encará-lo com otimismo e esperança, pois faz parte do coração humano esperar sempre. Entretanto, não podemos acreditar que as coisas vão melhorar só porque sexta-feira já é 2010. Ao contrário, o momento é de profunda reflexão na busca do aprimoramento da cidadania, ainda mais que ocorrerão importantes eleições no ano que vem. Não podemos, perder de vista por isso, que a efetiva participação de todos é imprescindível ao processo democrático, que não é um objeto pronto e, portanto está longe do ideal a se aperfeiçoar. Além do mais, o crescimento e o desenvolvimento do país e de seus cidadãos deve ser uma constante, independentemente de uma página virada no calendário.

            DIA MUNDIAL DA PAZ

Aproveitamos o ensejo para reiterarmos que a paz não pode ser vista como um simples intervalo entre conflitos quer no espaço ou na rua, quer na posse de armamento ou poder, mas como procura incansável de uma convivência geral mais fraterna. Ela acontecerá, sobretudo, quando o ser humano acreditar no seu semelhante e lutar pela verdade, fazendo florescer o direito e a dignidade humana, em lugar da omissão, da prepotência, do egoísmo e do conformismo gratuito.

Por ocasião do Dia Mundial da Paz, Primeiro de Janeiro, invocamos o saudoso Papa João Paulo II que no início de 1992, definiu a paz “como um bem fundamental que comporta o respeito e a promoção dos valores essenciais do homem: o direito à vida, em todas as fases do seu desenvolvimento; o direito à estima, independentemente de raça, sexo e convicções religiosas; o direito aos bens materiais necessários à vida; o direito ao trabalho e a uma eqüitativa distribuição dos seus frutos, tendo em vista uma convivência ordenada e solidária. Como homens, como crentes e mais ainda como cristãos, devemos sentir-nos empenhados na vivência desses valores de justiça que encontram o seu coroamento no preceito supremo da caridade: ‘Ama o teu próximo como a ti mesmo’ (Mt, 22,39)”.

 

CARLOS JOSÉ MARTINELLI -  é advogado, jornalista, escritor e professor universitário - Jundiaí, Brasil

 



publicado por Luso-brasileiro às 11:26
link do post | favorito

Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres




mais sobre mim
arquivos

Abril 2021

Março 2021

Fevereiro 2021

Janeiro 2021

Dezembro 2020

Novembro 2020

Outubro 2020

Setembro 2020

Agosto 2020

Julho 2020

Junho 2020

Maio 2020

Abril 2020

Março 2020

Fevereiro 2020

Janeiro 2020

Dezembro 2019

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

pesquisar
 
links