PAZ - Blogue luso-brasileiro
Terça-feira, 24 de Maio de 2011
Côn. JOSÉ GERALDO VIDIGAL DE CARVALHO - A RESSURREIÇÃO E A VIDA

[Cônego.jpg]

 

 

 

A Ressurreição de Lázaro é o último milagre realizado por Jesus antes do início de sua Paixão (Jo 11,1-45). Ele voltou novamente à Judéia, a três quilômetros a leste de Jerusalém, para salvar seu amigo Lázaro. Patenteou, antes de sua própria morte, que viera ao mundo para resgatar os homens do pecado e de todas as consequencias do pecado. Ele, ainda uma vez, quis demonstrar que grande era a afeição do Pai que detesta a morte e que deseja a vida. Realidade esta que encontrará sua prova decisiva no dia da Páscoa, quando se deu definitivamente a vitória da vida sobre a morte, do amor sobre o pecado. Cristo era o mensageiro sublime da enorme dileção de Deus para com a humanidade prevaricadora. Na trajetória por este mundo o ser racional depara com a morte, não apenas enquanto a cada minuto dela inexoravelmente se aproxima, mas também diante do desaparecimento de parentes, amigos, entes queridos, que deixam após si um rastro de lembranças, de tristeza, de imensa saudade. A morte é um acontecimento inelutável, inescapável. Ante a morte, porém, surge o poder decisivo de Deus. Foi o que sentia Marta ao afirmar a Jesus: “Senhor, se tivesses estado aqui, meu irmão não teria morrido. Mas mesmo assim, eu sei que o que pedires a Deus, ele to concederá”. Amigo de Lázaro e de suas irmãs, Cristo também partilhava de suas dores. No entanto Ele, que poderia ter vindo antes, chega propositadamente depois do falecimento de quem tanto prezava. É que Ele, embora humano, só se deixava conduzir pela vontade do Pai. Esperou que Lázaro morresse porque Ele não viera simplesmente afastar a amargura e o luto, mas transformar estes sofrimentos e esta morte numa mensagem gloriosa, prenúncio de seu notável triunfo após a tragédia do Calvário. A raiz do pecado é a morte, como bem declarou São Paulo: “Por um só homem o pecado entrou no mundo e pelo pecado veio a morte; deste modo a morte passou para todos os homens pelo fato de que todos pecaram” (Rm 5,12). Ora, apenas Jesus demonstrara o poder de perdoar os pecados e dera provas de que tinha também capacidade de trazer à vida os que haviam morrido. Eis aí a grande exclusividade da fé cristã. Pela afirmação audaciosa perante o acontecimento que mais aflige o ser humano “Eu sou a ressurreição e a vida”, sentença logo confirmada pela ressurreição de Lázaro, Cristo apresenta a resposta ao drama causado pela transgressão do Paraíso. Acrescenta algo mais: “Quem crê em mim, mesmo que morto, viverá. E todo aquele que vive e crê em mim não morrerá jamais”. Jesus não fala aqui da vida sobre a terra, sobre a existência meramente biológica, mas da vida divina. Todos os domingos, como em Betânia aconteceu com Marta, ele indaga a cada cristão: “Crês isto”? Quem acredita não pode então levar uma vida sem amor, sem esperança, sem uma alegria partilhada com os irmãos. A vida do cristão deve estar plena do sentido da ressurreição, de vida, de júbilo. É deste modo que se ilustra a resposta que se deve dar a Cristo: “Eu creio firmemente, Senhor, pois tu és o Messias, o Filho de Deus que devia vir ao mundo”. O império de Jesus sobre a morte é uma fagueira promessa de vida. Aliás, sua própria ressurreição ostentou que Ele era o primogênito de uma multidão de irmãos a cantarem o hino festivo da vitória, prenunciada inclusive pela ordem que dera a seu falecido amigo: “Lázaro, vem para fora”. Que espetáculo glorioso: “O morto saiu, atado de mãos e pés, com os lençóis mortuários e o rosto coberto com um pano”. Confirmava-se o que Ele havia dito: “Eu vim para que todos tenham a vida e a tenham em abundância” (Jo 10,10). Ali estava o Senhor Todo-Poderoso que perante a fé dos que nele acreditavam tirava do túmulo quem lá jazia nas trevas da morte. Toda a existência de quem foi batizado deve sempre colocá-lo perante a esperança da ressurreição, vivida na aventura da fé que flui do senhorio absoluto do Filho de Deus. Nele, de fato, não se deve contemplar apenas o Rabi da Galiléia, Mestre admirável, mas também o poderoso Senhor no qual se pode inteiramente confiar. É preciso abrir os olhos e viver integralmente em função de quem realmente tem a resposta para todas as rescrescentes aspirações humanas. Um abandono total Àquele que ininterruptamente demonstrou um amor desinteressado pelos que sofrem, ostentando a solicitude de um benfeitor familiar, Pastor desvelado atento às necessidades de suas ovelhas. Isto é uma importante dimensão do crer e esperar nele. Embora vivendo num vale de lágrimas nada deve quebrar os laços entre Cristo e aquele que ele ama e do qual solicitamente cuida. Jesus, antes de ressuscitar a Lázaro, chorou, patenteando a ternura de seu coração. O liame de amizade entre Ele e o cristão é algo essencial. A indefectível amizade de Jesus é que permite ao que nele crê caminhar sem desfalecimentos pelas estradas da vida. Um autêntico repouso na confiança em Cristo é uma delicadeza para com Ele. Então maravilhas acontecem em derredor de seus amigos, como ocorreu, um dia, lá em Betânia.

 

 

JOSÉ GERALDO VIDIGAL DE CARVALHO   -  da Academia Mineira de Letras





publicado por Luso-brasileiro às 11:03
link do post | comentar | favorito

mais sobre mim
arquivos

Dezembro 2020

Novembro 2020

Outubro 2020

Setembro 2020

Agosto 2020

Julho 2020

Junho 2020

Maio 2020

Abril 2020

Março 2020

Fevereiro 2020

Janeiro 2020

Dezembro 2019

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

pesquisar
 
links