PAZ - Blogue luso-brasileiro
Terça-feira, 3 de Maio de 2011
MARIA CRISTINA CASTILHO DE ANDRADE - A BEATIFICAÇÃO DE JOÃO PAULO II

 

 

 

 

 

A beatificação do Papa João Paulo II me faz feliz, não somente porque ele me emocionava, mas por ter influenciado o meu caminho de mulher adulta e batizada. Beatificado no segundo domingo de Páscoa, domingo da misericórdia divina, em que, no Evangelho Jesus convida Tomé a lhe tocar o sinal das marcas dos pregos nas mãos e no lado, que fora aberto pela lança de um soldado, de onde escorreu sangue e água (Jo20,19-31). Creio que o beato João Paulo II, em sua história pessoal, tocou o coração de Jesus e escorreu de suas mãos, ao longo de seu pontificado, o Amor maior que, da Cruz, se estendeu a toda a humanidade e nos ofereceu a salvação. Amor contra a corrente que reafirma a dignidade de toda a pessoa e dá o discernimento sobre a importância da prática da caridade e da abertura a todos na estima e no respeito. Amor que incentiva o diálogo e a superação da violência, da discriminação, do ódio, através do perdão das ofensas, da reconciliação fraterna, da paz. Teve compaixão por aquele que tentou matá-lo e o visitou no presídio. Karol Jósef Wojtyla, que experimentou tantas perdas na vida, ensinou-nos a superá-las no anúncio da Páscoa. Foi ele que disse: “Onde surge a Cruz, vê-se o sinal de que chegou a Boa Notícia da salvação do homem mediante o amor”. Ele que nos conclamou a enfrentar sem medo os transtornos.

A beatificação do Papa João Paulo II me importa e muito. Vivi dos meus 24 aos meus 50 anos sob a influência de sua mensagem, resumida pelo Papa Bento XVI: “O homem é o caminho da Igreja e Cristo é o caminho do homem”. A vida dele mudou a minha. Mostrou-me que o tempo de minha história, seja qual for a fase da vida, deve permitir que seja tempo de Deus, tempo de redenção. Que o tempo do meu coração deve estar sincronizado com o tempo do coração misericordioso de Deus. Suas palavras e atitudes me convidaram a buscar a bondade. Mostrou-me que ser santo não é obsoleto.  Em relação à morte, perante cerca de 20 mil pessoas na Basílica de São Pedro, em 2 de novembro de 1983, disse (no contexto orativo católico) :  "O diálogo com os mortos não deve ser interrompido, pois, na realidade, a vida não está limitada pelos horizontes do mundo".  Mais de um milhão de peregrinos e fiéis procedentes de várias partes do mundo lotaram Roma em primeiro de maio, assim como todos que, de alguma forma, da distância, acompanharam a beatificação, para permanecer em diálogo com ele, testemunhando que somente a santidade responde aos anseios maiores da alma humana e que queremos Deus. Ele que se despojou de seu eu para ampliar o Reino dos Céus.

A beatificação do Papa João Paulo II me renova em minha missão de agente da pastoral da mulher e carcerária, sem ressaltar culpas e condenações, mas destacando que  é possível renascer para uma vida nova, consciente de minha fragilidade, mas confiante na graça de Deus e desejosa de caminhar sobre as pegadas de Jesus.

Não me esqueço, na memória e no afeto, do Beato João Paulo II! Que ele interceda por nós todos junto a Deus!

 

Maria Cristina Castilho de Andrade

É educadora e coordenadora diocesana da Pastoral da Mulher/ Magdala, Jundiaí, Brasil



publicado por Luso-brasileiro às 11:27
link do post | comentar | favorito

PAULO ROBERTO LABEGALINI - HISTÓRIA E SOMOS TEMPLO DO ESPIRITO SANTO!

 

 

 

 

* H I S T Ó R I A

 

 

Uma família de tartarugas decidiu sair para um piquenique. Durante a primeira semana de viagem, procuraram um lugar ideal e, por aproximadamente mais duas semanas, limparam a área, desembalaram a cesta de alimentos e terminaram as arrumações. Só então descobriram que tinham esquecido o sal!

Após uma longa discussão, a tartaruguinha mais nova foi escolhida para voltar em casa e pegar o saleiro, pois era a mais rápida de todas. Ela lamentou, esperneou, mas aceitou ir com uma condição: que ninguém comesse nada até que ela retornasse. Todas concordaram.

Três dias se passaram e a pequenina não voltava. Quatro... cinco... então, no sexto dia de sua ausência, a tartaruga mais velha não agüentou conter sua fome e começou a desembrulhar um sanduíche.

Nesta hora, a tartaruguinha saiu de trás de uma árvore e gritou:

– Viu! Eu sabia que vocês não iriam me esperar. Agora é que eu não vou mesmo buscar o sal!

Descontando os exageros, muitas coisas na vida acontecem mais ou menos da mesma forma: desperdiçamos o tempo esperando que as pessoas atendam as nossas expectativas; ficamos preocupados com o que os outros estão fazendo e deixamos de realizar coisas importantes. Colocamos a culpa das nossas falhas nas costas de terceiros! Se cada um assumisse a responsabilidade dos atos e fizesse bem feito a sua parte, quase todos os problemas do mundo estariam resolvidos.

Vamos melhorar?

 

* Do programa ‘Nossa Reflexão’, que vai ao ar em quatro horários no Canal 20: 8h30, 11h30, 17h30 e 22h30. O site www.canal20tv.com.br disponibiliza os vídeos já apresentados na televisão. Clique em ‘Arquivos de Vídeo’ e depois em ‘Nossa Reflexão’.

 

 

** somos templo do espírito santo!

 

 

Graças ao nosso batismo nos tornamos templos do Espírito de Deus! Dá para imaginar o que isso significa em nossas vidas? Certamente, para a maioria das pessoas que fossem consultadas, usando de sinceridade responderiam: ‘Não, não sei’. Pelo menos é assim que muitos se comportam: convivendo diariamente com muitos pecados.

Eu sei que todos nós somos pecadores e também não me julgo santo – quem me dera! –, mas se cada filho de Deus quisesse realmente que o Espírito Santo nele habitasse, não se esforçaria um pouco mais para isso?

É comum ouvir palavrões a todo instante em recintos públicos ou até mesmo nas redes abertas de televisão. Embora isso não seja um pecado mortal, também não é importante para a nossa sobrevivência. Quem usa um ou outro palavrão na sua comunicação, deveria refletir melhor sobre o mau exemplo que está dando à sociedade e, até mesmo, àqueles que não gostariam de ouvir aquilo naquele momento – inclusive o Espírito Santo!

Mas, se isto fosse colocado em debate, com certeza causaria muita polêmica porque muitos diriam que falam palavrões apenas nos desabafos e sem nenhuma intenção maldosa. Em minha opinião, mesmo assim poderiam evitá-los e, com o tempo, substituí-los por outros termos mais adequados.

Eu fui aos poucos me educando nesse sentido e não me arrependo. Aliás, por que me arrependeria de estar me comunicando segundo Jesus Cristo espera que eu o faça? Hoje, não consigo me comportar indignamente sabendo que também estou magoando a minha Mãe Santíssima que tanto me ajuda! Se, um dia, espero estar junto de Jesus e de Maria no céu, sei que preciso começar a me preparar para isso aqui na terra o quanto antes – e até já perdi muito tempo!

Como não entrei nesse caminho sozinho, aconselho as pessoas se espelharem em ‘alguém mais puro’ para, assim, melhorar a sua vida. O ideal seria se esse ‘alguém’ fosse um bom religioso ou algum santo, mas, sendo uma pessoa de bem, pode e deve servir como espelho de vida cristã.

Saiba também que quando algum pecado estiver tentando você insistentemente, é preciso que se confesse, comungue e reze um pouco mais para se livrar do mal que procura entrar na sua vida.

Ser templo do Espírito Santo é uma missão muito séria, por isso devemos nos comprometer com a purificação do nosso corpo e da nossa alma para que Ele possa habitar em nós vinte e quatro horas por dia.

Para quem nunca tentou, é muito fácil: basta querer morar no paraíso... santamente, alegremente e eternamente!

 

** Do programa ‘Acreditamos no Amor’, que vai ao ar em dois horários na Rádio Futura FM, 106,9 MHz: 6 h e 18 h – segunda a sexta.

Site para ouvir o programa ao vivo: www.futurafm.com.br

 

PAULO ROBERTO LABEGALINI --    Escritor católico, Professor Doutor da Universidade Federal de Itajubá-MG. Pró-reitor de Cultura e Extensão Universitária da UNIFEI.

 



publicado por Luso-brasileiro às 11:24
link do post | comentar | favorito

Segunda-feira, 2 de Maio de 2011
HUMBERTO PINHO DA SILVA - O TESTAMENTO DE CAETANO DE PINHO

 

 

 

Figura destacada da vida económica de Vila Nova de Gaia, tornou-se notável na industria, no comércio e na política gaiense.

Filho de modesto carpinteiro -  estabelecido com oficina na Rua de Cândido dos Reis, - desde muito novo evidenciou excepcionais capacidades de trabalho, tornando-se proprietário da Industria Madeireira Caetano de Pinho e próspero negociante de vinhos.

Decorrido décadas de haver casado com D. Ludovina Júlia Cardoso, filha do conhecido Conselheiro Cardoso, senhor de imponente palacete brasonado, na Rua do Pilar e constatando que não teria filhos, assentou, com sua mulher, partilhar a grossa fazenda por parentes, amigos, empregados, vizinhos, instituições de caridade e entidades públicas, legando avultadas quantias, para a época, no intuito de realizarem certas obrigações, v. g.: zelar pelo jazigo, vestir pobres, premiar alunos, etc., etc., etc.

 

 

               

 Caetano de Pinho com o sobrinho o escultor Francisco da Silva Gouveia

 

 

Após declarar que era cristão e possuir sentimentos religiosos em que fora educado, prossegue: “ Sou casado com Ludovina Júlia Cardoso e Silva, sem precedência de escritura antenupcial de cujo matrimónio não houveram filhos nem os tenho naturais, e não tenho ascendentes alguns vivos, pelo que me é licito dispor livremente de bens e valores que constituem a minha herança, que se compõe de propriedades, vinhos, papeis de crédito nacionais e estrangeiros e constam dos meus livros, e todos eles representam o fruto da minha actividade e do meu lícito esforço.”

 Seguem-se, entre outros, os legados:

À Junta da Paróquia de Santa Marinha de V.N. de Gaia, deixo dois contos e quinhentos mil reis, para do seu rendimento, anualmente comprar livros e vestuários para alunos pobres de ambos os sexos, das escolas oficiais da referida freguesia e para instituir dois prémios de dez mil reis cada um, para serem conferidos ao aluno que dê melhores provas no seu estudo, e outro à aluna que mais se distinguir, especialmente em prendas próprias do seu sexo.”

Boas intenções teve Caetano de Pinho, mas no correr dos anos o dinheiro foi diminuindo e os prémios deixaram de ser distribuídos.

E o retrato que foi colocado solenemente no salão nobre da Junta, foi retirado e guardado na arrecadação. Assim se agradeceu ao benemérito gaiense.(1)

“Deixo à Santa Casa da Misericórdia a quantia de três contos de reis, com a obrigação de mandar rezar por minha alma uma missa, da esmola de 2000 reis que deverá ser celebrada na Igreja de Santa Marinha na véspera de Natal de cada ano e de distribuir nessa ocasião a esmola de mil reis de consoada a cada um de trinta pobres necessitados naturais da mesma freguesia, especialmente velhos, e vestuário a quatro pobres nas mesmas condições.”

Será que a Misericórdia ainda cumpre? Que recebeu o legado estou certo disso, mas que se lembre de mandar celebrar a missa, duvido.

“Deixo à Creche de Stª Marinha de que fui co-fundador, um conto e quinhentos mil reis, para fundo, com a condição de aumentar mais dois berços ou camas de criança.”

Foi cumprido? Não sei, como não sei se ainda há o retrato que fora colocado em local destacado.

Deixo à Confraria do S. Sacramento da Igreja de Stª Marinha, para fundo, a quantia de quinhentos mil reis e duzentos mil reis para alfaias, com a obrigação de cuidar da limpeza do meu jazigo, e de uma missa perpétua no aniversário do meu falecimento.”

O jazigo estaria em ruínas se não fosse o cuidado de parente e a limpeza, quem a faz?….certamente não é por conta da Confraria.

De nada valeu ter deixado essa obrigação. A missa, espero que ainda a mandem celebrar na data do aniversário da morte.

Deixo cem mil reis para serem distribuídos em esmolas de cinco mil reis, para vinte viúvas ou filhas de negociantes pobres, pedindo aos beneméritos proprietários de “O Comércio do Porto” para fazerem essa distribuição.”

Teria sido cumprido?

Foram ainda contemplados, além de vizinhos e empregados: o Colégio dos Órfãos, Asilos de Mendicidades, S.. João, Terço, Desamparadas, Meninas Desamparadas, Velhas de Stª Clara, Sª das Dores, Irmãzinhas dos Pobres, Oficina de S. José, Santa Clara do Bonfim e Junta de Freguesia de Mafamude.

E termina o extenso testamento, pedindo perdão pelas ofensas involuntárias feitas e conclui: “ O sentimento de gratidão foi sempre internato com a minha consciência, a qual não me acusa de ter sido ingrato com alguém que me prestasse favores ou atenções; e quantas ingratidões e desatenções tenho recebido, que tão profundamente me chocam!”

Pergunto agora ao leitor: Compensa deixar legados a instituições para que cumpram ou façam cumprir certas obrigações?

Creio bem que não. Se lá do Céu, Caetano de Pinho souber o que aconteceu ao seu dinheiro, certamente dirá: Se recebi ingratidões que me chocaram durante a vida, após haver falecido muitas mais sofro. Até o retrato, na Junta incomodou!….

 

 

 1)  O Actual Presidente, o Sr. Joaquim Leite,  homem dinâmico, que se interessa  pela freguesia, e por todos aqueles que nela nasceram ou viveram, mandou retirar da cave, dezenas de quadros,muitos com retratos de ilustres figuras de Santa Marinha,  que ai permaneciam, e colocou-os numa sala do " Museu da Escola ", sendo o de Caetano de Pinho, exposto no auditório.

 

a - Sobre Caetano de Pinho, consultar o “Boletim da Associação Cultural Amigos de Gaia Nº 50 Junho/2000; e “Figuras Inesquecíveis da Nossa Terra”- N.G.- 12 /03/2001.

 

HUMBERTO PINHO DA SILVA - Porto, Portugal



publicado por Luso-brasileiro às 13:48
link do post | comentar | favorito

Domingo, 1 de Maio de 2011
VICTORIA LUCÍA ARISTIZÁBAL - UNA MADRE PARA DIOS

                   

 

 

Del vientre de natura es esta estrella

Un vientre virginal casi sagrado

Una hechura de amor que Dios ha dado

Con alma que se entrega sin querella

 

Madre de cielo y madre siempre bella

Un lazo que admite un hijo amado

Cubierto con el manto acrisolado

Formando senderos de honda huella

 

Unidos transitan así tan pocos años

Nunca suficientes cuando se ama

Y Nunca deficiente, aun lejano

 

Es madre la que tiende con su mano

El cáliz donde bebe quién la llama

Ese hijo, asi le haya hecho daño

 

 

 VICTORIA LUCÍA ARISTIZÁBAL

               Bogotá Colombia

                Mayo 1 de 2011



publicado por Luso-brasileiro às 18:02
link do post | comentar | favorito

CLARISSE BARATA SANCHE - MÃE NÃO MARCA DIAS PARA AMAR

 

 

Neste dia de Maio e de Maria

Em que se presta à mãe mais atenção,

Quero à minha dizer, com nostalgia,

Que só posso ofertar-lhe uma oração!

 

 

Dia de mais Amor, dedicação,

Também em nossa casa nunca havia...

Bem cedo lhe doei o coração,

Tendo-a sempre na minha companhia!

 

 

A mãe não marca dias para amar...

Traz os filhos na alma até deixar

De ter sopro de vida... e ser alguém!

 

 

É por isso que é pobre em sentimentos,

Quem não tem dias mais prã dar alentos,

Carinhos e conforto a sua mãe!

 

Clarisse Barata SanchesGóis - Portugal



publicado por Luso-brasileiro às 17:55
link do post | comentar | favorito

UMA FELIZ INICIATIVA DO HOSPITAL MÁRIO PENNA DE BELO HORIZONTE

O Hospital Mário Penna, em Belo Horizonte, Brasil, que cuida de doentes vítimas de câncer, lançou um projecto a que chamaram: “DOE PALAVRAS”.

Você entra no site http://www.doepalavras.com.br/ e esvreve uma mensagem de optimismo ( como  faz no twitter ou facebook) e irá aparecer no telão, que está na sala de quimioterapia do Hospital.

Deste modo  está ajudando milhares de pessoas, que fazem tratamento nessa unidade hospitalar.

Não esqueça: pode e deve repetir as mensagens, periodicamente, que devem ser sempre de optimismo, e reconfortantes para os doentes.



publicado por Luso-brasileiro às 17:33
link do post | comentar | favorito

mais sobre mim
arquivos

Novembro 2020

Outubro 2020

Setembro 2020

Agosto 2020

Julho 2020

Junho 2020

Maio 2020

Abril 2020

Março 2020

Fevereiro 2020

Janeiro 2020

Dezembro 2019

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

pesquisar
 
links