PAZ - Blogue luso-brasileiro
Sexta-feira, 8 de Março de 2019
PÉRICLES CAPANEMA - PURPURINA SUJA

 

 

 

 

 

Escreve: Péricles Capanema

 

 

 

 

De forma obsessiva, o Carnaval tomou conta da televisão, dos jornais, das revistas, de blogues e sites sem-número. Estadeia visibilidade no topo. Viro a moeda, agora miro a coroa. Tomou conta da conversa das pessoas? De suas preocupações? Está de vera em ascensão rumo ao auge?

 

Corta. No turbilhão de notícias, saraivadas sucessivas, desventrando o caos em que se encontra o Brasil, há anos venho seguindo fenômeno alvissareiro: o Brasil amadurece. Lenta e continuadamente. Por que digo o Brasil? Por ser fenômeno generalizado.

 

Em vários pontos, emergem gradualmente, tendendo a serem majoritárias, opiniões que supõem reflexão, amplitude de vistas, sopesamento sereno de vários fatores, condições inafastáveis para caminhar na direção certa. Exemplos. Meses atrás li observação do jornalista Otávio Frias Filho (1957–2018), impressionou-me: “Eu fui bem socialista, digamos, entre 76 e 78 ou 79. Mas sempre com visão crítica. Daí eu recebi um convite da parte da Economist pra visitar a Grã-Bretanha. Era programa muito bom, você ficava um mês conhecendo instituições e parlamentos, além da Redação da revista. Era a época Thatcher, e eu fiquei impressionado: quanto mais velha a pessoa que eu entrevistava, mais de esquerda ela era. Quanto mais jovem, mais de direita. Eu disse a mim mesmo: ‘Tem alguma coisa errada aqui, não é normal o que está acontecendo’”.

 

Nada tinha de errado, era normal o que acontecia, a Inglaterra estava amadurecendo, deixava de lado fantasias deformantes, refletia com menos amarras. Em suma, passava por avanço social sério; o socialismo, retrocesso evidente, parecia velheira nefasta a setores cada vez maiores, em especial na juventude. O Brasil, na época, infelizmente ainda estava numa juventude transviada, verde para posição mais lúcida. Gostava de acreditar em devaneios românticos, observava pouco, fantasiava sonhador sobre a ordem temporal. Melhorou bastante, com tropeços andou no rumo certo, amadureceu. E hoje teses de direita são defendidas de forma crescente por jovens.

 

No caso, na Inglaterra, antes blasonava dominante a opinião de que o Estado estava chamado a resolver os problemas, a sociedade vinha em segundo lugar. Era convicção sem dúvida deletéria. Naquele momento, a convicção antiga murchava nos espíritos. O Estado voltava a seu papel suplementar em relação à sociedade. Os jovens não queriam se ligar ao que presenciavam definhando.

 

Otávio Frias Filho se espantou com o que enxergou no mundo desenvolvido, oposto ao que sentia no Brasil de então, chapinhando no subdesenvolvimento. Contou ainda o jornalista: “Eu já estava na faculdade, sob influência enorme daquele movimento estudantil bem esquerdizado da época, na São Francisco”. Na ocasião, o mundo intelectual brasileiro que se publicava era maciçamente de esquerda. A juventude inglesa estava noutra, caminhava para a direita. Hoje, é menor entre nós o domínio intelectual da esquerda nos ambientes daintelligentsia, isto é, burguesia culta, jornalistas, docência universitária. Apagou-se em parte o deslumbramento esquerdista.

 

No Brasil de então, apenas para lembrar um fato, o assunto privatização começava a fazer seu caminho. Surgiram enormes resistências e não apenas na esquerda clássica que deblatera até hoje contra o processo. Houve, ao longo dos anos, marcha gradual para chegar à convicção saudável de que a solução dos problemas nacionais descansa sobretudo na sociedade e não no Estado, a saber, nas pessoas, nas famílias, nas empresas, nas escolas, na vida religiosa. Hoje, proporcionalmente, mais gente, em especial na juventude, apoia a política de privatizações (se bem-feita, claro) que no já longínquo 1979. Amadurecimento.

 

Outro ponto de amadurecimento, emagreceu nosso ufanismo infantil com o futuro do Brasil. A bem dizer sumiram ditirambos como os do simpático conde Afonso Celso em “Por que me ufano de meu país”: “Não há no mundo país mais belo do que o Brasil. Quantos o visitam atestam e proclamam essa incomparável beleza.” Caíram também no descrédito as bobagens de que somos os melhores em quase tudo, inigualáveis no futebol, reis do jeitinho, criativos como ninguém e vai por aí afora. O óbvio ganha espaços, antes ocupados por fantasia lisonjeante. Está mais difundida a opinião severa (e objetiva) de que um futuro de grandeza supõe como hábito de décadas, para começo de conversa, cultivo sério da inteligência, o esforço, a disciplina, vida ativa, regrada e austera. Aqui também houve amadurecimento. Roberto Campos, jocosamente (ou tristemente), com frequência trazia à baila, martelava Gilberto Amado sempre, ele daria pulos de alegria quando encontrasse um brasileiro capaz de ligar causa e efeito. Campos constatava, continuamos incapazes de ligar causa e efeito. Constato o oposto: começamos em vários campos a ligar causa e efeito, prenúncio de rumo certo.

 

Agora volto ao tema do artigo: o carnaval está no auge da popularidade? De um auge, sim, melhorando, de um fundo de poço: 2019 representou explosão de espírito libertário, de paganismo debochado e desbragado, lembrou os cultos a Baal da antiguidade pagã.

 

Em 2019 ficou claro também ▬ primeira vez, pelo que atino ▬ um distanciamento crítico da maioria da população em relação ao carnaval, desagradada de ver montanhas de dinheiro público torrado na proteção e promoção da devassidão. Causa e efeito ligados.

 

Pesquisa do instituto Paraná desenterrou realidade em geral oculta. Feita a pergunta: “Algumas prefeituras do Brasil decidiram reduzir a verba do carnaval para investir em áreas como saúde, educação, infraestrutura, entre outras. O sr (a) concorda ou discorda dessa iniciativa?” No Brasil inteiro, 85,8% concordam. Discordam 8,6%. No Sul, mais escolarizado e de maior padrão de vida, 90,2% concordam. Segundo quesito: “Em sua opinião, o carnaval deve ser: (72,6%) totalmente patrocinado pela iniciativa privada; (21,2%) metade patrocinado pelo poder público e a outra metade pela iniciativa privada; (2,4%) totalmente patrocinado pelo poder público. No Sul, 82,5% querem o Poder Púbico fora do Carnaval, 12,9% meio a meio, 1,2% acham que o Poder Público deve patrociná-lo totalmente. Terceira pergunta: “O carnaval é a principal festa popular do Brasil?”, 53,5% responderam Não; 41,7% responderam Sim. Existe aqui clara opinião de reserva, até mesmo de oposição.

 

Somando e subtraindo, os brasileiros, em sua grande maioria, prefeririam o dinheiro público aplicado em escolas, postos de saúde, creches, segurança ao invés de vê-lo torrado irresponsavelmente nos três dias de carnaval; é sinal de maturidade e seriedade de espírito. De longe, brilha a purpurina da popularidade. De perto, apresenta manchas. No caso, bom começo, desperta esperanças.

 

 

 

PÉRICLES CAPANEMA - é engenheiro civil, UFMG, turma de 1970, autor do livro “Horizontes de Minas"



publicado por Luso-brasileiro às 18:07
link do post | comentar | favorito

PAULO R. LABEGALINI - O QUE FIZ PARA MERECER ISSO ?

 

 

 

 

 

 

 

 

Paulo Labegalini.jpg

 

 

 

 

 

 

 

Infelizmente, é comum ver pessoas revoltadas com Deus, dizendo que nunca fizeram mal a ninguém e não aguentam mais tanto sofrimento! Para piorar as coisas, há quem deixa de ir à Igreja e até muda de religião, como se isso resolvesse todos os problemas.

Muita gente já me questionou e eu tenho tentado responder à pergunta usada como título deste artigo, mas, quando sinto a fé do próximo abalada, qualquer tipo de explicação naquele momento é inútil. E como já passei por sérios problemas na vida, sei que tudo pode ser mudado com paciência, oração e confiança na providência Divina.

Sempre que me pedem ajuda, prometo rezar e digo que Deus não manda castigo pra ninguém, mas, ao contrário, evita desgraças maiores e abençoa os filhos que trilham bons caminhos. Considero inteligente e equilibrado quem consegue aceitar com realismo os fatos irreversíveis e ainda procura superá-los com fé no coração – como fez Nossa Senhora ao pé da Cruz.

Portanto, é preciso saber separar as ‘coisas do mundo’ das ‘coisas de Deus’, senão, é impossível entender as provações que passamos nesta vida. E, para exemplificar como podemos crescer espiritualmente para melhor enfrentar o mundo, vou contar uma história.

Era uma vez um rei que tinha quatro rainhas. Ele amava a quarta esposa demais e vivia dando-lhe lindos presentes. Ele também amava muito sua terceira esposa e gostava de exibi-la nos reinados vizinhos, contudo, tinha medo que um dia ela o deixasse por outro rei.

E também amava sua segunda esposa. Ela era sua confidente e estava sempre pronta para ele – com amabilidade e paciência. Sempre que o rei tinha que enfrentar um problema, ele confiava nela para atravessar tempos difíceis.

A primeira esposa era uma parceira muito leal e fazia tudo o que estava ao seu alcance para manter o rei poderoso, mas ele não a amava. Apesar de o amar profundamente, ele mal tomava conhecimento dela.

Um dia, o rei adoeceu e percebeu que seu fim estava próximo. Foi quando pensou em toda a luxúria de sua vida e ponderou: ‘É, agora eu tenho quatro esposas comigo, mas quando morrer, ficarei sozinho!’ Então, falou à quarta esposa: ‘Querida, te cobri das mais finas roupas e joias, mostrei o quanto eu te amava cuidando bem de você. Agora que estou morrendo, você é capaz de morrer comigo para não me deixar partir sozinho?’

‘De jeito nenhum!’ – respondeu ela, saindo do quarto sem sequer olhar para trás. A resposta cortou o coração do rei. Tristemente, ele então perguntou à terceira esposa: ‘Eu também te amei tanto a vida inteira, você é capaz de morrer comigo?’

‘Claro que não, a vida é boa demais! Quando você morrer, eu vou casar de novo.’ – respondeu ela.  O coração do monarca sangrou de tanta dor; e ele falou à segunda esposa: ‘Eu sempre lhe ouvi quando precisei de ajuda e você sempre esteve ao meu lado. Você será capaz de morrer comigo para me fazer companhia?’

‘Sinto muito, mas, desta vez, não posso fazer o que me pede.’ – respondeu aquela esposa. E completou: ‘O máximo que eu farei será enterrá-lo.’ Esta resposta veio como um trovão na cabeça do rei, que ficou arrasado.

Daí, uma voz se fez ouvir: ‘Eu partirei com você e o seguirei por onde você for.’ O rei levantou os olhos e lá estava a sua primeira esposa: magrinha e muito sofrida! Com o coração partido, o marido disse-lhe: ‘Eu deveria ter cuidado melhor de você enquanto ainda podia...’ Em seguida, morreu.

Na verdade, todos nós temos quatro ‘esposas’ na vida. A quarta esposa é o nosso corpo. Apesar de todos os esforços que fazemos para mantê-lo saudável e bonito, ele nos deixará quando morrermos. Nossa terceira esposa é a riqueza. Gostamos de exibi-la, mas, quando morremos, tudo vai para os outros. A segunda esposa é a nossa família. Apesar de nos amar muito e estar sempre nos apoiando, na morte, o máximo que cada parente pode fazer é rezar e nos enterrar.

E nossa primeira esposa? É a nossa alma! Muitas vezes a deixamos de lado por perseguirmos os prazeres do mundo e, apesar disso, ela é a única que irá conosco – não importa para onde formos.

Lembre-se disso e se liberte um pouco mais da vaidade, do dinheiro e da vida fechada em família. Consiga mais tempo para a Confissão, a Eucaristia e a Partilha. Procure enxergar os chamados que recebe diariamente para servir Jesus Cristo e Ele não descuidará de sua alma. Fortaleça o quanto antes a alma, pois livre de pecados, será esse o maior presente que você poderá dar a si mesmo. Deixe que a alma brilhe aos olhos de Deus e, mesmo na eternidade, você nunca se arrependerá.

 

 

 

 

 

PAULO ROBERTO LABEGALINI - Escritor católico. Vicentino de Itajubá - Minas Gerais - Brasil. Professor Doutor do Instituto Federal Sul de Minas - Pouso Alegre.‘Autor do livro ‘Mensagens Infantis Educativas’ – Editora Cleofas.

 



publicado por Luso-brasileiro às 10:56
link do post | comentar | favorito

HUMBERTO PINHO DA SILVA - DE MAÇÓNICO A CRISTO

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Vitorino Nemésio era professor universitário, de cultura invulgar, e grande erudito; mas as lições monótonas e muito maçadoras, não despertavam o interesse dos alunos.

Certa ocasião, João Nobre – conhecido maestro e compositor português, – ia adormecendo, ao assistir à aula, do professor. Cansado e entediado, resolveu levantar-se, e sair.

O Mestre, estava atento. Parando a dissertação, virou-se, e perguntou-lhe:

- “ Então, vai sair?!”

João Nobre, jovem irreverente, respondeu-lhe, sem refletir:

-” Não aguento mais. O Senhor Professor, é um grande maçador! …”

E sem mais, abandonou a sala de aula.

Vitorino Nemésio, retomou a exposição, como se nada tivesse passado.

Mais tarde, João Nobre, pensando melhor, receou que a precipitada atitude, poderia ser considerada afronta, ao Mestre.

Receoso, deixou de aparecer na Faculdade. Certificando-se, por colegas, que nada constava, sobre o assunto, começou a frequentar as aulas; mas não as do Professor Vitorino.

Por fim, ganhando coragem, sorrateiramente, entrou na sala do Mestre, sentando-se na última fila.

Mas, o Professor, ao vê-lo, disse-lhe, em alta voz:

-” Pensei no que me disse, e considerei: que tinha razão. Vou tentar ser menos pesado”.

Nemésio tornou-se o intelectual mais popular do seu tempo, graças à rubrica: “ Se Bem me Lembro”, na televisão.

 

 

 

th.jpg

 

 

 

O Professor nasceu, a 19/12/1901, na Terceira (Açores).

Foi católico, mas no correr dos anos, afastou-se de Cristo. Em Coimbra colaborou em revistas culturais e aderiu à Maçonaria, na loja: “ A Revolta”.

Formou-se com alta classificação em Filologia Românica, pela Faculdade de Lisboa.

Casou, em 1926, com Dona Gabriela Monjardino Azevedo Gomes, e teve quatro filhos.

Mas…Quarta - Feira - Santa, do ano de 1954, foi visitar D Manuel de Almeida Trindade (Bispo de Aveiro).

Falaram durante três longas horas. No final, Vitorino Nemésio, tinha os olhos húmidos, e a voz trancada pela comoção.

As lágrimas, escorriam-lhe pela face, quando o notável Professor – e futuro diretor do matutino: “ O Dia”, – rogava, ao sacerdote, a absolvição.

Toda essa cena comovedora é narrado em: “ Memórias de um Bispo”, por D. Manuel Almeida Trindade.

O Professor, congraçou-se, definitivamente, com Deus. O maçónico e “velho” republicano, nascera de novo.

 

 

 

 

HUMBERTO PINHO DA SILVA   -   Porto, Portugal



publicado por Luso-brasileiro às 10:44
link do post | comentar | favorito

EUCLIDES CAVACO - SER MULHER

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

SER MULHER - Poema e voz de Euclides Cavaco.Nesta efeméride especial, presto aqui a mais merecida homenagem a todas as MULHERES, com este poema que LHES dedico, no seguinte video elaborado pela talentosa amiga Gracinda Coelho.
 
 


https://www.youtube.com/watch?v=B6PjZK6hpvE&feature=youtu.be
 
 
 
 
 


FELIZ DIA DA MULHER PARA TODAS AS MULHERES.
 
 
 
 
 
 

EUCLIDES CAVACO  -   Director da Rádio Voz da Amizade , Canadá.

 

 

 

***

 

 

CONCURSO DE POESIAS

 

 

 

O GRÊMIO CULTURAL PROF. PEDRO FÁVARO, COMEMORANDO OS QUINZE ANOS DE FUNDAÇÃO, PROMOVE O CONCURSO DE POESIAS:

 

" TRIBUTO AO PROF. PEDRO FÁVARO"

 

 

 

REGULAMENTO

 

 

 

                                 

  • As poesias versarão sobre o homenageado, sua vida como político, professor ou amigo.
  • Os autores poderão enviar duas poesias, sendo que, apenas uma será escolhida.
  • Enviar em duas vias, digitadas ou datilografadas do dia 01/3/2019 ao dia 10/4/2019.
  • Junto, enviar nome completo, endereço, telefone e e-mail.
  • As poesias deverão ser entregues pessoalmente ou pelo correio na Casa da Cultura, situada na Av. União dos Ferroviários no. 1760-CEP 13 201-160 (Complexo FEPASA) Escrever no envelope: Concurso de Poesias do Grêmio Cultural Prof. Pedro Fávaro.
  • Serão classificadas 20 (vinte) poesias. Os prêmios serão troféus, placas, medalhas e diplomas.
  • Os autores deverão ter, no mínimo, 18 (dezoito) anos e residirem na região de Jundiaí.
  • Os membros do Grêmio Cultural Prof. Pedro Fávaro e seus descendentes até o 2º.grau não poderão participar.
  • A diretoria do Grêmio Cultural será soberana nas decisões, não cabendo recursos.
  • Os classificados serão informados do local e data da entrega dos prêmios com antecedência de sete dias.
  •  

 

 

 

 

***

 

 

 

O Prof. Pedro Fávaro nasceu em Espírito Santo do Pinhal, ano 1925 e faleceu em Jundiaí, ano 2004.

Formou-se professor pela Escola Normal  de Jundiaí, lecionou Língua Portuguesa, Física e Química.

 Foi eleito vereador duas vezes, em 1947 e 1952. Em 1964 elegeu-se para o Executivo, tendo uma profícua atuação. Em sua primeira gestão  construiu: a Estação de Tratamento de Água;  vinte e seis prédios escolares; os viadutos Sperandio Pelliciari e Joaquim Candelário de Freitas;  viabilizou a implantação da Faculdade de Medicina – onde é homenageado com uma sala em seu nome.

Em 1969, ocupou os cargos de Diretor da Fazenda e Diretor de Ensino. Em 1976, ao assumir novamente o Executivo , construiu três Centros Esportivos, o Parque Corrupira e o Centro das Artes, com o teatro Sala Glória Rocha, hoje fechado. Em 1989, foi vice do prefeito Walmor Barbosa Martins.

Recebeu o título de Cidadão Jundiaiense, Cidadão Benemérito e Medalha Petronilha Antunes.

Em sua segunda gestão, doou um terreno para construir o Centro de Reabilitação Jundiaí, entidade que atende, atualmente, cerca de oitocentas pessoas. Em sua homenagem foi fundado o Grêmio Cultural Prof. Pedro Fávaro, em 2004, ano de seu falecimento.

 

 

 

***

logotipo_dj_dvc[1].png

 

 

 

 

 

Palavra-do-Pastor-340x240-2018-300x240.jpg

 

 

 

 

 

 

 

Palavra do Pastor, com Dom Vicente Costa, 

 

Bispo diocesano de Jundiaí

 

1ª Domingo da Quaresma

 

https://youtu.be/ndTkHeTy-Rc

 

 

 

 

***

 

 

 

Leitura Recomendada:

 

 

 

 

 

Resultado de imagem para Jornal A Ordem

 

 

 

 

 

Jornal católico da cidade do Porto   -    Portugal

 

Opinião   -   Religião   -   Estrangeiro   -   Liturgia   -   Area Metropolitana   -   Igreja em Noticias   -   Nacional

 

 

https://www.jornalaordem.pt/

 

 

 

 

 

 

***

 

 

 

Horário das missas em, Jundiai ( Brasil):

 

http://www.horariodemissa.com.br/search.php?opcoes=cidade_opcoes&uf=SP&cidade=Jundiai&bairro&submit=73349812

 

 

 Horário da missas em São Paulo:


http://www.horariodemissa.com.br/search.php?uf=SP&cidade=S%C3%A3o+Paulo&bairro&opcoes=cidade_opcoes&submit=12345678&p=12&todas=0

 

http://www.horariodemissa.com.br/search.php?uf=SP&cidade=S%C3%A3o+Paulo&bairro&opcoes=cidade_opcoes&submit=5a348042&p=4&todas=0

 

 

Horário das missas na Diocese do Porto(Portugal):

 

http://www.diocese-porto.pt/index.php?option=com_paroquias&view=pesquisarmap&Itemid=163

 

 

 

 ***



publicado por Luso-brasileiro às 10:18
link do post | comentar | favorito

mais sobre mim
arquivos

Novembro 2020

Outubro 2020

Setembro 2020

Agosto 2020

Julho 2020

Junho 2020

Maio 2020

Abril 2020

Março 2020

Fevereiro 2020

Janeiro 2020

Dezembro 2019

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

pesquisar
 
links