PAZ - Blogue luso-brasileiro
Domingo, 25 de Setembro de 2011
HUMBERTO PINHO DA SILVA - INEZITA BARROSO - A MAIOR CANTORA DA MÚSICA CAIPIRA DO BRASIL

 

 

No passado mês de Agosto, completou sessenta anos de Carreira, a genial Inezita Barroso, a mais famosa intérprete da música caipira.

A cantora, que tem voz inconfundível, conheceu na juventude a genuína música caipira, que nasceu no Brasil rural, e foi, e ainda é, cantada pela gente simples do campo.

No vidro que gravou em 1991, a cantora, que pertence a família de abastados cafeicultores, conta a infância feliz, que a seu parecer, foi linda:

“ Aliais a minha infância se prolonga até aos 16 anos. Naquele tempo brincava-se na rua, aquelas cantigas de roda, jogos infantis. Brincava como moleque, porque meus amigos, na maioria eram meninos; já que tenho um único irmão. Então era bicicleta, era pião, futebol. Brinquei de tudo, até bem tarde. Meu pai era super alegre, muito culto e de família do litoral. Minha mãe pertencia a gente de fazenda, do interior de São Paulo.”

E mais adiante acrescenta: “Tenho várias lembranças, muito doces. Minha mãe levando-me para cantar com sete anos. Vestidinho cor-de-rosa, cabelinho com fita, que nunca parava.”

“ Quando chegávamos ao lugar onde devia cantar, sentava-me no chão, porque era muito inquieta. E ela com carinho, arrumava a fita no cabelo. Dava-me, então, beliscões no rosto, para ficar corada; eu tinha ódio disso. Ainda não existia blush. Meu pai afinava-me o violão. Não tocava, mas afinava perfeitamente.”

“ A primeira vez que cantei com violão, foi ele que afinou. É uma doçura isso. Ele sempre se interessou por mim, e pela minha carreira, até ao dia que morreu.”

Inezita Barroso, cujo nome de baptismo é: Inez Magdalena Aranha de Lima, nasceu em São Paulo, a 4 de Março de 1925.

 

 

 

                         

 

 

Muito cedo, quando ia de ferias para as fazendas da família, conviveu com os trabalhadores rurais, e coligia, cuidadosamente, todas as letras, que estes entoavam na roça e aos serões, após o dia de trabalho.

Foi com essa gente simples, na maioria analfabeta, que em menina, cantava as tradicionais coplas sertanejas, ao som da viola portuguesa, violão e sanfona.

Nessa recuada época, a maioria dos brasileiros viviam no campo e  a má influência da música comercial, não se fazia sentir.

Hoje a música sertaneja sofre graves influências, que começam apartá-la das raízes, e se cantor há, que ainda conserva a tradição, deve-se muito ao aturado trabalho de Inezita Barroso.

O seu programa “Viola, Minha Viola”, gravado no Teatro Franco Zampar, todas as quartas-feiras, em São Paulo, é o de maior audiência da TV Cultura. Além de interpretar belas canções do folclore brasileiro, Inezita, apresenta o melhor que há de música caipira.

Inezita Barroso, que é também notável atriz de teatro e cinema, foi condecorada, em 2003, com a Medalha Ipiranga, pelo governador de São Paulo, Ackmin, e deu o nome ao Hospital do Câncer de Bernabé.

A cantora é doutorada Honoris Causa, em Folclore brasileiro pela Unicapital, e em Folclore e Arte digital, pela Universidade de Lisboa. Lecionou, até 2009, nas Faculdades Unifai e Unicapital.

 

Ouça a Inezita:

 

Marvada Pinga     http://youtu.be/8a3PJ8E7nhg

 

Lampião de Gás        http://youtu.be/AnuqqmqVvPg

 

A Moda da Mula Preta       http://youtu.be/G1tq5Jz8ypc

 

Meu Limão Meu Limoeiro       http://youtu.be/8nUWDdY5u-k

 

Saudades do Matão         http://youtu.be/SqgpdESPHEE

 

Viola Enluarada               http://youtu.be/SvxZbrZRTkk

 

Chuá Chuá                  http://youtu.be/aQgxQlvcgR4

 

Maringá                 http://youtu.be/g_zq7A0R-Vw

 

Coletânea de músicas de Inezita Barroso: 

       

http://www.juzp.net/-H_V3ZNNRUaBS

 

 

 

 



publicado por Luso-brasileiro às 17:34
link do post | comentar | favorito

mais sobre mim
arquivos

Novembro 2020

Outubro 2020

Setembro 2020

Agosto 2020

Julho 2020

Junho 2020

Maio 2020

Abril 2020

Março 2020

Fevereiro 2020

Janeiro 2020

Dezembro 2019

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

pesquisar
 
links