PAZ - Blogue luso-brasileiro
Segunda-feira, 25 de Janeiro de 2010
MARIA CRISTINA CASTILHO DE ANDRADE - A DOR QUE VEM DO HAITI

                  

 

 

 

Do Haiti nos chegam notícias da tragédia geológica cujo sangue escorre na humanidade.. Mas não sangra tanto quanto no povo que lá habita. Vimos, através de imagens, os corpos na superfície das ruínas e os que residem em Porto Príncipe, ao encontro de cadáveres conhecidos/desconhecidos, enquanto experimentam o coração massacrado por perdas de todos os tipos. O presságio, a respeito dos que não foram localizados, é sempre fúnebre.

Cidade devastada. Acampamentos construídos sob o odor de corpos enfileirados à espera de uma vala comum. Edificações que desmoronaram como castelos de cartas. A partida de Da. Zilda Arns, que, com sua fé na prática, é símbolo de que a solidariedade pode mudar os caminhos dos desprezados. É referência de virtude para os séculos XX e XXI.

Comovem-me todas as situações. Crianças órfãs vagando pelas ruas. Brigas e saques motivados pela fome. E tudo isso em um dos países mais pobres e voláteis do mundo, onde as pessoas não possuíam condição alguma de utilizar placas de metal na construção de suas casas, de acordo com as regras sísmicas. As edificações eram inadequadas para um lugar onde há lajes rochosas que estão em permanente deslocamento, acumulam energia e é ela liberada em terremotos.

Em tragédias assim há o êxodo dos mais atingidos, dos que gostariam de ficar, dos que sonham em retornar. Estavam ali as raízes de muitos, o seu teto, roupas, fotos, lembranças... Passam a se ver como um deserto cercado de mortos e mortes.

Lamento por tudo. Lamento pelas 37 mil mulheres grávidas, de acordo com a Ong Care, que estão espalhadas pelas ruas, expostas às falta de atendimento médico. Pelas mães que acabaram de dar à luz e por seus recém-nascidos sem berço. Pelas mães que amamentam seus filhos em meio a entulhos e por aquelas, próximas ao parto, que tentam, sem sucesso, um leito de maternidade.

Que triste! Alguns perguntam onde estava Deus e eu me pergunto onde estávamos nós, que éramos indiferentes aos riscos que o povo pobre de lá corria? Sofremos um impacto ao vê-los mortos ou necessitando de água, comida e roupas, mas e a placa de metal, para as casas, que lhes ofereceria uma segurança maior numa calamidade como a que ocorreu? Seríamos capazes de oferecê-la, abrindo mão de nossos acúmulos?

O povo do Haiti caminha pela amargura. Quando colônia mais rica da França foi escravizado. Montesquieu explicou: “O açúcar seria demasiado caro se os escravos não trabalhassem na sua produção”. Passou por mãos de ditaduras sanguinárias. Concordo, portanto, com o escritor uruguaio, Eduardo Galeano, autor do livro “As veia abertas da América Latina”, quando ele diz em seu artigo “Os pecados do Haiti”, que a história daquele país é também uma história do racismo na civilização ocidental. E os frutos do racismo e do preconceito, creio eu, estão sempre envoltos em desgraças.

 

 

MARIA CRISTINA CASTILHO DA ANDRADE- É coordenadora diocesana da Pastoral da Mulher e autora de “Nos Varais do Mundo/ Submundo” –Edições Loyola

 



publicado por Luso-brasileiro às 19:11
link do post | favorito

Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres




mais sobre mim
arquivos

Abril 2021

Março 2021

Fevereiro 2021

Janeiro 2021

Dezembro 2020

Novembro 2020

Outubro 2020

Setembro 2020

Agosto 2020

Julho 2020

Junho 2020

Maio 2020

Abril 2020

Março 2020

Fevereiro 2020

Janeiro 2020

Dezembro 2019

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

pesquisar
 
links