PAZ - Blogue luso-brasileiro
Terça-feira, 24 de Abril de 2012
JOSÉ RENATO NALINI - SEM MEDO DA MORTE

 

                                         

 

 

 

 

 

 

O cristão deveria ser a criatura mais feliz sobre a face da Terra. Se todos os demais humanos não conseguiram contornar o medo da morte, o crente é um afortunado. A base de sua fé está na convicção de que esta vida não é senão passagem. Efêmera para todos, pese embora a sensação de que alguns chegam à ancianidade. Por mais que se esforce, o ser humano é incapaz de ultrapassar os 110 anos.

Quem chega aos 90 já fica feliz, pois muitos contemporâneos já partiram. Com isso se confortam: ficar velho é melhor do que morrer. Desde a mais remota antiguidade, logo após a mitologia ter cedido espaço à razão, preocuparam-se os pensadores com obter explicação satisfatória para esse fenômeno da finitude. Por que se nasce? Qual a missão de cada um neste peregrinar? Por que se precisa morrer? A busca da perenidade não se satisfaz com a resposta laica.

Vive-se na descendência, o que priva aqueles que não geraram filhos de sobreviver. Perpetua-se nas obras realizadas durante este percurso. Esta resposta não é das mais conclusivas. De que vale eternizar-se naquilo que se fez, se a individualidade perece? Já o cristão tem uma solução para o mistério. A humanidade resultou de um ato de amor do Senhor da Razão e de todas as coisas. Pretensioso, o homem quis logo comparar-se a Deus.

Perdeu a situação original de verdadeira bem-aventurança e se viu obrigado a trabalhar para viver, “obter o pão com o suor do rosto” e, para culminar, sentiu o que é a mortalidade. Ofensa a um Deus, só um sacrifício divino para redimir o ofensor. Daí a linda história do Cristo, presente sempre, a iluminar os caminhos desta espécie cada vez mais desalentada, tanta a insensatez que campeia pelo sofrido planeta. O ápice disso tudo é a ressurreição.

Alguém que venceu a morte – já o fizera a ressuscitar seu amigo Lázaro – não é uma pessoa qualquer. Se Ele ressuscitou, eu também posso ressurgir dos mortos. E se não tivesse ressuscitado, “vã seria a minha fé”, como proclamou Paulo. Criatura miserável, o ser humano deixa de levar a sério a mensagem, se desespera, se desalenta, blasfema, esquece-se de sua filiação divina. Pensa em ovos de chocolate em lugar de se entregar ao Cristo Ressuscitado. Na festa mais linda até do que o Natal. Pois sem a ressurreição, qual a razão para se continuar a viver?

 

 

José Renato Nalini é Corregedor Geral da Justiça do Estado de São Paulo, biênio 2012/2013. E-mail: jrenatonalini@uol.com.br.



publicado por Luso-brasileiro às 11:42
link do post | favorito

Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres




mais sobre mim
arquivos

Dezembro 2020

Novembro 2020

Outubro 2020

Setembro 2020

Agosto 2020

Julho 2020

Junho 2020

Maio 2020

Abril 2020

Março 2020

Fevereiro 2020

Janeiro 2020

Dezembro 2019

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

pesquisar
 
links