PAZ - Blogue luso-brasileiro
Sábado, 30 de Junho de 2012
CINTHYA NUNES VIEIRA DA SILVA - FÉRIAS Á VISTA ?

 

 

 

 

 

 

 

 

 

            Há muito se foi o tempo que o mês de julho representava um mês de férias, em seu sentido mais pleno de significados. Atualmente, ainda que não lecione nesse mês, há o serviço do escritório, da casa, os cursos livres, algumas aulas de pós e mais um milhão e meio de outras obrigações que a vida adulta e responsável nos impõe.

            Dia desses, ao telefone com minha irmã, minha sobrinha Isadora pediu para falar comigo. “_ Tia, eu estou de férias!” Fiquei pensando no que férias podem significar para uma garotinha de 5 anos e disse a ela que eu também queria estar de férias para poder ficar brincando com ela, ao que me respondeu: “_Fala com seu chefe e fala pare ele deixar você nas férias.”

            Simples. Aliás, simples como o mundo das crianças e como o dos adultos não é. Penso que por isso as crianças são felizes, porque não possuem o sentimento de complexidade das coisas. Essa a sabedoria infantil, que se esvai aos poucos, conforme a idade vai se somando aos anos vividos.  No fundo, gente grande complica tudo e não chega a quase lugar nenhum...

            Ainda ao telefone, minha irmã me contou que a filha estava preocupada com o que iria fazer nas férias. Tempo vazio e energia a mil, sinceramente, não combinam. Do mesmo modo, tempo escasso e cansaço, mas deixemos para lá. Há muito tempo eu não sei o que é me preocupar em como preencher os meus dias. Ao contrário, luto para esvaziar algumas poucas tardes ou manhãs ensolaradas, nas quais a vontade de andar a esmo, de não fazer nada, são quase alucinantes.

            Tenho um grave defeito que é não conseguir ficar parada muito tempo. Sei que isso parece bem incongruente com o desejo meio concomitante que tenho de descansar, mas é que meu conceito de descanso não é o ócio pleno. Gosto das férias para ler, para fazer caminhadas, para, na verdade, não ter preocupações ao extremo. Anseio por férias mentais, por desligar dos problemas, meus e dos alheios. Assim, meu lugar imaginário, de consolo e de paz é aquele no qual os celulares só fazem ligações, mas não recebem, onde eu não tenho que sair correndo para não me atrasar, mas onde corro para sentir o prazer de uma corrida, onde o barulho é da música do meu fone e não de pessoas desfiando um mundo de problemas...

            Olho para a natureza e observo que os animais, as folhas, o vento, a chuva, as nuvens, nada parece ter pressa e, ao mesmo tempo, nunca há ausência de movimento. A música da vida me lembra um balé, uma valsa, algo constante e delicado, mesmo quando o som dos trovões me faz lembrar uma orquestra. Curiosamente, a humanidade perdeu o compasso com o tempo das coisas. Estamos fora de sintonia, fora de prumo, desesperados em busca do que não sabemos, andando como loucos, como se tivéssemos ânsia pelo fim. Não deveríamos desejar as férias como um hiato único de descanso, de paz. Deveríamos saber dosar os momentos, mas creio que ainda estamos distantes disso.

            Enquanto minha sobrinha se preocupa, prematuramente, com o que vai fazer nas férias, eu penso como maximizar as minhas, diminutas. Nesse quesito, minhas férias estão mais para a prazo, do que à vista...

 

 

 

CINTHYA NUNES VIEIRA DA SILVA - Advogada, mestra em Direito, professora universitária e escritora - São Paulo



publicado por Luso-brasileiro às 15:03
link do post | comentar | favorito

mais sobre mim
arquivos

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

pesquisar
 
links