PAZ - Blogue luso-brasileiro
Segunda-feira, 24 de Setembro de 2012
PAULO ROBERTO LABEGALINI - O CÉU EM MIM

 

                                                                     

 

 

 

 

 

 

Cheguei apressado em casa, cheio de papéis nas mãos e preocupações na mente, entrei no elevador e subi. Do térreo ao 10º andar são exatamente 42 segundos, que pacientemente experimento várias vezes ao dia há 20 anos.

Na expectativa de a porta se abrir no tempo previsto, desocupei uma das mãos para segurar a chave do apartamento e adentrar rapidamente no lar, mas o elevador continuou fechado. Achei que houvesse acabado a energia, porém, eu continuava subindo. Dei uns pulinhos para me certificar do sentido do percurso e tive certeza que me dirigia para cima.

– Que coisa estranha! – pensei. – Como seria possível o elevador passar pelo telhado e ascender ao céu? Será que não pertenço mais a este mundo?

Fiquei apavorado. Por mais que achemos que estamos preparados para a morte, ninguém espera falecer dentro de um elevador. Comecei a apertar os botões e a bater na porta, mas nada se alterava, eu continuava subindo. Sem opção, pus a papelada no chão, limpei o suor do rosto e sentei, esperando o final do percurso.

Então, com tempo suficiente para ficar à toa, comecei a pensar no sentido da vida.

– O que fiz com a minha existência? Correspondi à vontade de Deus nas oportunidades que Ele me deu de fazer o bem? Agradeci o suficiente a Nossa Senhora por tantas bênçãos que me concedeu? Amei as pessoas como Jesus me ensinou ou, pelo menos, retribui o carinho que tanta gente demonstrou por mim?

Surpreendentemente eu não chorava. Mesmo lembrando minha adorável família, eu não chorava. Uma profunda paz interior tomou conta de mim e somente coisas boas vieram à cabeça: missas que cantei, palestras que ministrei no Cursilho e Ovisa, evangelização nas rádios e nos jornais, caridade com os vicentinos, trabalhos na Pastoral Familiar, livros católicos que escrevi, coordenação do Natal no Campus da UNIFEI, aulas, terços, futebol com os amigos, vida em família...

Ah, de repente, todas as lembranças antigas começaram a se apagar e somente as coisas mais recentes eu podia recordar. Lembrei de uma palestra que participei e aprendi este ensinamento:

O pecado é como um obstáculo que nos faz parar e refletir; e no Evangelho, obstáculo aparece como ‘escândalo’! Para quem está iniciando na fé, isso pode se tornar um impedimento definitivo para a caminhada cristã. Por isso, é preciso analisar com profundidade as conseqüências de se viver na graça ou viver negando a proposta divina – desgraça.

Infelizmente, poucos entendem os gestos de amor de Jesus para com os pecadores e, aqueles que ignoram, deixam de fazer essa belíssima experiência em suas vidas. Seria importante que nossa evangelização enfocasse o Plano de Deus para cada irmão em Cristo: amar uns aos outros, servindo com humildade no coração, construindo um mundo mais justo e fraterno. É um Plano de Amor e Salvação!

No capítulo 30 do Livro do Deuteronômio está escrito: “Eis que ponho diante de ti o bem e o mal. Escolha o bem e viverás”. Isso significa abrir mão de alguns interesses pessoais para assumir um projeto coletivo de felicidade – o que não é fácil! No sentido figurado, significa ‘rasgar o coração’. Por exemplo: o jovem rico do Evangelho de Marcos deixou tudo para seguir Jesus? Confiou na promessa de que não era necessária sua fortuna para entrar no Céu?

Como é difícil aconselhar outras pessoas, concorda? Mesmo preso no elevador, lembrei de um padre que estava procurando a agência de correios numa cidade do interior e encontrou um menino sentado na sarjeta.

– Meu jovem, pode me explicar onde fica o correio? – falou o sacerdote.

– Ali, depois daquela ponte, seu padre.

– Muito obrigado, mas vejo que você é tão novo e já está com um cigarro na boca! Eu sou o novo pároco da cidade e gostaria de lhe ensinar os caminhos de Deus. Vá à igreja e conversaremos.

– Que nada, seu padre. O senhor não sabe nem o caminho do correio e quer me ensinar o caminho de Deus?

Esbocei um sorriso e logo voltei à realidade do elevador que continuava subindo ao céu. Ao céu desconhecido ou ao Paraíso? Na dúvida, comecei a rezar, a pedir perdão dos meus pecados, a rogar pelos nomes que deixei escritos no oratório de casa, e fui me entregando nos braços do Pai com cânticos de louvor. Ficava feliz cada vez que pensava no pouco que fiz pela construção do Reino. Dava vontade de gritar com alegria: ‘Eu não esperei ficar velho e aposentado para servir a Deus!’

Dei razão a uma amiga que um dia me disse: ‘Não faça da sua vida um rascunho, pois pode não dar tempo de passar a limpo. Lembre-se que somos o que fazemos, mas somos, principalmente, o que fazemos para melhorar o que somos. Enfim, é até melhor estar preparado para dar uma oportunidade e não ter nenhuma, do que ter uma oportunidade e não estar preparado’.

Êpa, após horas sozinho naquele lugar, o elevador parou e a porta se abriu. Então eu acordei. Viva, acordei para uma vida nova! Acorde você também.

 

 

 

PAULO ROBERTO LABEGALINI -    Escritor católico, Professor Doutor da Universidade Federal de Itajubá-MG. Pró-reitor de Cultura e Extensão Universitária da UNIFEI.

 



publicado por Luso-brasileiro às 10:55
link do post | favorito

Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres




mais sobre mim
arquivos

Dezembro 2020

Novembro 2020

Outubro 2020

Setembro 2020

Agosto 2020

Julho 2020

Junho 2020

Maio 2020

Abril 2020

Março 2020

Fevereiro 2020

Janeiro 2020

Dezembro 2019

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

pesquisar
 
links