PAZ - Blogue luso-brasileiro
Sexta-feira, 18 de Janeiro de 2013
CINTHYA NUNES VIEIRA DA SILVA - DELICIOSAMENTE VICIANTES

 

 

 

 

            Já confessei publicamente que sou uma mulher de alguns vícios. Confessei-os porque deles, na verdade, não tenho qualquer vergonha. E os vícios são mesmo assim, dominam o viciado, fazendo-o dependente e submisso. Pois bem, o primeiro dos meus vícios é o amor pelos que são caros.

 

            Não conheço amor que não seja incondicional e pleno. Notem que não me refiro ao que os outros possam sentir por mim, mas o que eu sinto pelo outro. Amar, já disse o poeta, é verbo intransitivo... Assim, o amor pela minha família é algo que me domina. Por cada um deles sou capaz de atravessar oceanos a nado e escalar montanhas infinitas. Nada é muito e o pouco é sempre nada quando se trata de amor. Amo assim pois somente assim o sei e ponto.

 

            Outro vício meu, esse não muito honroso, é por pipoca. Desde que me conheço por gente sou incapaz de resistir ao barulhinho do milho estourando, ao cheiro inebriante que toma conta do ambiente e ao croc croc dos pequenos e deliciosos flocos brancos. Quando criança, ao invés de pensar nas nuvens como algodão doce, eu as imaginava imensas pipocas flutuantes... Uma bacia de pipoca fartamente e tecnicamente (sim, há técnica para isso, heheh) temperada e um bom livro nas mãos é uma das minhas combinações prediletas. Talvez não seja o alimento mais saudável do mundo, mas vício é vício e, para compensar, uso e abuso de saladas e exercícios...

 

            O terceiro e severo vício que possuo, já conhecido pelos que acompanham meus textos, é pelos livros, pela leitura. Em outro momento, cheguei a escrever sobre minha desconfiança de que sou uma espécie de mutante, com partes de gene de traça. Gosto de tanto de livros que já nem sei quantos li desde que as letras se desnudaram para mim. Quando eu não podia comprar livros, eu os pedia emprestados de amigos ou os buscava nas bibliotecas da escola. Comprava em sebos, pedia de presente de aniversário e participava de concursos nos quais eles fossem os prêmios.

 

            Hoje posso adquiri-los e desde que os pude, não parei mais. Não sei passar um mês sem fazê-lo, mesmo que isso implique em abrir mão de outras coisas. É uma compulsão e talvez eu seja um tipo de acumuladora, mas enquanto eu os conseguir manter em ordem e arrumados, sei que não vou e não quero parar.

 

            Mas o vício verdadeiro não é comprar, mas é ler. Leio todo o tempo que posso, seja onde e como for. Acabo um e já me apego a outro. Carrego livros na bolsa, no carro, no celular... Jamais faço uma viagem sem que um livro esteja na bagagem, bem como não consigo pegar no sono sem atualizar-me em algumas páginas.

 

            O problema é quando começo um livro que depois descubro ser ruim ou cuja leitura se torne sem graça, pois não consigo abandoná-lo pelo meio. Obrigo-me a termina-lo, seja como for, até para ver se o bom não ficou para o final. Alguns, infelizmente, mostraram-me que ter parado antes teria sido melhor, mas em outros casos, valeu ter insistido, ter acreditado na ideia e no autor.

 

            Outra coisa que às vezes faço, quando a história está emocionante, é dar uma olhadela, assim, meio de soslaio, nas páginas próximas do final, só para ver se algum personagem ainda continuará por lá ou se vai morrer antes. Atualmente, por exemplo, estou nessa situação. A estória está nos seus momentos máximos, já no terceiro e último volume de uma série. Quase todo mundo já morreu, excetos uma meia dúzia de personagens e eu já estou suspeitando que no fim seremos só eu e o escritor. Assim, andei dando uma olhada para me garantir, pois não quero ficar sozinha naquele lugar apavorante onde tudo está se desenrolando...

 

            Sei que tudo isso pode parecer uma esquisitice aos olhos alheios, mas todo vício não é meio assim? Inexplicável, injustificável e esquisito?  Ao menos os meus não fazem mal a ninguém...

 

 

 


 

CINTHYA NUNES VIEIRA DA SILVA - Advogada, mestra em Direito, professora universitária e escritora - São Paulo.

 



publicado por Luso-brasileiro às 18:12
link do post | favorito

Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres




mais sobre mim
arquivos

Novembro 2020

Outubro 2020

Setembro 2020

Agosto 2020

Julho 2020

Junho 2020

Maio 2020

Abril 2020

Março 2020

Fevereiro 2020

Janeiro 2020

Dezembro 2019

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

pesquisar
 
links