PAZ - Blogue luso-brasileiro
Quarta-feira, 29 de Maio de 2013
MARIA CRISTINA CASTILHO DE ANDRADE - " SE ALGUM DIA... "

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Hoje tenho certeza de que, ao me aproximar de um grupo de pessoas, que tem em comum dores e temores, às margens da sociedade onde sobrevive, é preciso, de início, ligar o meu coração ao delas, sem preconceitos e discursos, a fim de entendê-las. E é na compreensão, muito além das aparências, que se consegue acender com eficiência, no ponto de trevas, a chama da claridade e do calor.

 

Essa aprendizagem iniciei há décadas. Antes, acreditava que a Palavra e a convivência poderiam produzir seres semelhantes. Era mínima a minha noção sobre a força das diferenças individuais e o que a história de cada um, desde o ventre materno, esculpe em seu ser. Meus discursos anteriores escorreram pelas sarjetas do submundo, mas o olhar atual, que me liberta de julgamentos, traz à Palavra, embora ela seja eterna, um sentido novo. Diante de histórias repletas de tragédias, com danos provocados pela promiscuidade sexual, pela miséria, pelos desencantos, pela falta de chance para a dignidade, pelo consumo de drogas lícitas e ilícitas, interpreto, lamento e convido ao atrito das pedras que gera uma faísca. Considero que a faísca é do sopro de Deus.  Não posso, entretanto, dizer o que devem iluminar. O discernimento das trevas é singular. As minhas sei bem quais são. Sobre o sopro de Deus, porém, é preciso anunciar Sua misericórdia, Seu mistério de Amor, que acolhe, perdoa, reconstrói, e vem pela brisa.

 

Mas voltando à tradução da pessoa e ao que nos torna próximas. Um dia desses, uma das integrantes da Pastoral da Mulher – Santa Maria Madalena/ Magdala, de mais de 60 anos, comentou sobre uma música que lhe tocava profundamente na voz de Agnaldo Timóteo, no tempo da Jovem Guarda: “Os Verdes Campos da Minha Terra”. Versão de “Green Green Grass of Home” de Curly Putman. Aqui no Brasil, para alguns, é considerada música brega, de cabaré. Não importa.  Sensibilizou-me sua voz dorida ao cantarolar: “Se algum dia/ À minha terra eu voltar/ Quero encontrar/ As mesmas coisas que deixei./ Quando o trem parar na estação/ Eu sentirei no coração/ A alegria de chegar./ De rever a terra em que nasci/ E correr como criança/ Nos verdes campos do lugar...” Havia algo muito forte, mais do que a saudade: a volta à infância, ao tempo em que não a corrompera a nódoa do uso pelo aproveitador que explora o trabalho escravo na força do seu braço ou de seu corpo macio  para saciar instintos.

 

Comunguei com ela “os verdes campos de sua terra” e, ao retornarmos ao cotidiano, percebi que dos atritos tantos se desprendera uma centelha: sua esperança centrada em Deus e sua grandeza em perdoar o passado.

 

 

 

 

MARIA CRISTINA CASTILHO DE ANDRADE   - É coordenadora diocesana da Pastoral da Mulher – Santa Maria Madalena/ Magdala. Jundiaí, Brasil

 



publicado por Luso-brasileiro às 19:46
link do post | favorito

Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres




mais sobre mim
arquivos

Novembro 2020

Outubro 2020

Setembro 2020

Agosto 2020

Julho 2020

Junho 2020

Maio 2020

Abril 2020

Março 2020

Fevereiro 2020

Janeiro 2020

Dezembro 2019

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

pesquisar
 
links