PAZ - Blogue luso-brasileiro
Sexta-feira, 21 de Junho de 2013
CINTHYA NUNES VIEIRA DE CASTRO - REVOLTAS

 

 

 

 

 

 

 

            Moradora da cidade de São Paulo, tenho tido que lidar com a questão das revoltas ditas “estudantis” contra o aumento das tarifas de ônibus. Eu confesso que tentei me manter neutra em relação ao tema, guardando minhas opiniões para mim mesma, mas, depois de muito ouvir sobre o assunto, sou compelida a tecer algumas considerações.

            Para quem não sabe ou para quem vem acompanhando apenas pela televisão, é preciso dizer que, de cara, as manifestações dos estudantes vem causando todo tipo de reações, de sentimentos e toda sorte de empatia e antipatia. Tenho percebido que, longe de haver um consenso, a própria discussão sobre o tema já se mostra capaz de dar azo a ânimos acirrados...

            Antes de mais nada, eu preciso dizer que, na essência, sou favorável ao movimento, ao fato da população deixar de lado a indiferença e dizer que o que pensa, o que quer. Está claro e mais do que isso, dispensa maiores esforços semânticos o fato de que pagamos demais para serviços de menos. Nossa segurança, nossa educação, nossa saúde e nossos direitos são vilipendiados de forma reiterada e descarada, como se o dinheiro público tivesse a única função de encher a burra de políticos corruptos. Já está na hora de deixarmos de ser um país de bananas, de gente que se resigna diante de toda espécie de abuso de poder.

 

                Contudo, por outro lado, ando desconfiada do mote real desse movimento contra o aumento da tarifa de ônibus na cidade de São Paulo. Não estou convicta das verdadeiras razões; nem das sabidas nem das escamoteadas. Acredito que muita gente está lá crente de que faz o melhor por si e pelos seus, mas talvez estejam sendo mal conduzidos ou manipulados.

 

                Diante das recentes ondas de violência que tem vitimado muitos inocentes, com gente sendo queimada por não ter dinheiro, ou levando um tiro na cabeça por estar com um pouco dele, com gente sendo vítima apenas porque está na frente do interesse de algum marginal, eu acho no mínimo estranho que a grande revolta dos jovens tenha se dado por conta de vinte centavos a mais na passagem. Vejam bem, não digo que o motivo não é justo e sei que, no fim do mês, para quem depende desse meio de transporte, o montante pode significar um aumento significativo em orçamentos apertados, mas eu me sinto como se assistisse gente atirando bomba em passarinho, logo depois de ter sido atropelada por uma manada de elefantes, passivamente.

 

                Já me perguntei se isso não seria o chamado “efeito gota d’água”, se não teria sido apenas um estopim, um caminho inevitável, a tão sonhada tomada de posição da população brasileira, mas, de todo coração, não estou certa disso. Para mim, estão misturando as coisas, estão usando meios e argumentos errados e estão punindo muita gente para quem os vinte centavos são verdadeiramente  indispensáveis.  Pode até ser que o equívoco esteja sendo de poucos, mas quando se apreende no meio dos manifestantes, drogas, facas e afins, quando se vê o caminho de estrago, de pânico e violência que fica para trás, não sou, ainda, capaz de crer em suas totais boas intenções...

 

                Pode ser que a polícia esteja cometendo excessos? Pode ser. Mas seu papel é manter a ordem e se precisam proteger a integridade dos bens públicos e das pessoas que não desejam fazer parte ou não acreditam na legitimidade do movimento, então, dentro de um estado de direito, deverão responder no que ultrapassar os limites da lei.

 

                Se cinco, dez mil estudantes estivessem acampados, dia após dia, na frente dos prédios do executivo, do legislativo, de quem tem o poder formal de mudar alguma coisa, eu não apenas irei aplaudir, como irei incentivar. Que não fosse apenas pelo transporte, mas que fosse pela saúde, pela moralidade, pela segurança, pela cidadania.

 

                Seja como for, aqui a história não é como aquela da tartaruga que é achada encima da árvore. Nesse caso, todo mundo sabe como o prefeito foi parar na Prefeitura... Espero que a memória dos estudantes envolvidos no movimento, sobretudo, não seja tão fraca a ponto de mudar de foco até as próximas eleições...

 

                Termino dizendo que não acredito em mocinhos e bandidos, mas que não aceito, por outro lado, que me queiram impor uma posição. Essa é apenas minha opinião e nada mais do que isso. Leia quem quiser...

 

 

 

CINTHYA NUNES VIEIRA DA SILVA    -   Advogada, mestra em Direito, professora universitária e escritora   -  São Paulo. 



publicado por Luso-brasileiro às 11:50
link do post | favorito

Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres




mais sobre mim
arquivos

Novembro 2020

Outubro 2020

Setembro 2020

Agosto 2020

Julho 2020

Junho 2020

Maio 2020

Abril 2020

Março 2020

Fevereiro 2020

Janeiro 2020

Dezembro 2019

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

pesquisar
 
links