PAZ - Blogue luso-brasileiro
Quarta-feira, 17 de Julho de 2013
MARIA CRISTINA CASTILHO DE ANDRADE - DESINSTALAR-SE

 

 

 

 

 

 

 

 

Tenho refletido sobre mudanças que acontecem no meu dia-a-dia e no entorno que possui ligação comigo. É incrível! De uma hora para outra, as coisas mudam e exigem novos rumos, projetos diferenciados, atitudes imprevistas. Meu pai ressaltava, nas alterações, que “o homem põe e Deus dispõe”. Penso ser isso: é Deus que me desinstala para me dizer algo.

 

Se não fossem as modificações, por certo me tornaria uma pessoa estagnada. Procuro organizar o que faço e o que possuo com cuidado. Caso tudo acontecesse e se repetisse da minha forma, conforme arquivos arrumados com primor, andaria no mesmo ritmo, imune a sustos e emoções.  Ah, é isso, caminharia por estradas retas sem sobressaltos e descobertas! Ao me remover da cadência de chuva mansa no telhado, Deus me oferece a oportunidade de me ver ao perder o controle sobre os fatos e de me aprimorar. Ele me mostra que contratempos, com os quais me deparo, são ínfimos, ao observar, com olhos de compaixão, tanta gente que sofre por miséria, doença, abandono, fome, guerras.  E constato, ainda, que sou impotente diante de certas situações. Incontáveis vezes, em minhas conversas com o Senhor, Lhe digo: “ Para essa circunstância, não possuo trilhas.  Deixo em Suas mãos”.  É uma forma de assumir meus excessivos  limites e entrar na humildade que o “posso tudo” mascara.

 

Já experimentei, em deslocamentos repentinos, a falta de esteio. São pessoas que se distanciam ou partem e que, para mim, representavam força nos riscos de naufrágio.  São as cartas enigmáticas indecifráveis no presente e para o amanhã. São fronteiras que me impedem um próximo passo. Em “Aquarela”, de Vinícius e Toquinho, existem versos intensos sobre o que há de vir: “E o futuro é uma astronave que tentamos pilotar/ (...) Sem pedir licença muda nossa vida/ e depois convida a rir ou a chorar...”

 

Ao nascer, chorei demais. E continuei chorando tanto, nos primeiros dias, que passei a ser conhecida, na maternidade, por “Manhosa”.  Acabara de ser transferida do aconchego das entranhas de minha mãe para o mundo que oscila entre áspero e macio. Ao longo dos anos, prossegui em variações, de um lugar para o outro, com ou sem escolha. Quanto me rebelei, em atitude interior de desassossego e inconformismo!

 

Hoje, apesar de determinados receios, ao perceber que Deus me desinstala disso ou daquilo, já não me comprime em profundidade o coração. Carrego vivências de transformações e, embora parte delas dolorosas, para todas houve um sinal do Céu. Reconheço-me peregrina. Encorajo-me na certeza de que “o homem põe e Deus dispõe”. E, se Deus dispõe, há, no acontecimento novo, a mão dEle, que ampara, acaricia e conduz. Mão de ninho que acolhe e acompanha a um voo mais próximo do azul.

 

 

 

 

MARIA CRISTINA CASTILHO DE ANDRADE   - É coordenadora diocesana da Pastoral da Mulher – Santa Maria Madalena/ Magdala. Jundiaí, Brasil.



publicado por Luso-brasileiro às 10:58
link do post | comentar | favorito

mais sobre mim
arquivos

Novembro 2020

Outubro 2020

Setembro 2020

Agosto 2020

Julho 2020

Junho 2020

Maio 2020

Abril 2020

Março 2020

Fevereiro 2020

Janeiro 2020

Dezembro 2019

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

pesquisar
 
links