PAZ - Blogue luso-brasileiro
Terça-feira, 23 de Julho de 2013
CINTHYA NUNES VIEIRA DA SILVA - AMOR À VIDA

 

 

 

 

 

 

 

Muita gente me pergunta como eu consigo fazer tantas coisas ao mesmo tempo e mais gente ainda me pergunta por que razão eu quero fazer tantas coisas. Sinceramente, a resposta para isso, para mim, é muito simples, sem segredos. Pode parecer o óbvio, mas consigo porque faço e todo mundo, quando quer, consegue. O tempo é medido da mesma forma para todo mundo e aí é uma questão de possibilidade e de prioridade.
Eu digo isso porque grande parte das pessoas que me fazem essa pergunta, tem tempo disponível, e teria plenas condições de fazer muito mais, de ser mais feliz, inclusive. Acho que algumas pessoas desperdiçam seus potenciais e seu tempo, de forma leviana ou inocente, mas o resultado inevitavelmente será o mesmo.
Por outro lado, é mais do que compreensível que alguém que viva em função de filhos pequenos, por exemplo, não tenha tempo para muita coisa extra, além do seu trabalho, mas, ainda assim, eu conheço muita gente que faz um dia ter 48 horas...Como eu disse, é tudo uma questão de prioridades, de momentos da vida e do que cada um deseja para si.
A única coisa que me desgosta é ouvir gente que tem tudo para ser feliz e ainda assim passa a vida reclamando. Eu acredito que tudo que a gente canaliza, volta para nós, para o bem e para o mal. Creio que passar o tempo reclamando, não tem o condão de fazer com que o universo se apiede e nos cubra de bênçãos. A contrario, aprendi que nada é tão ruim que não possa piorar.
A resposta a outra pergunta é pessoal. Eu faço muitas coisas diferentes porque gosto disso. Eu olho o mundo com os olhos que guardei da criança que um dia fui e da qual prometi nunca me afastar completamente. Há uma quase infinidade de lugares para ir, pessoas para conhecer, coisas a aprender, línguas a falar, risadas a rir e, infelizmente, lágrimas a chorar. Tudo o que temos para isso são, se tivermos sorte, algumas dezenas de anos e isso é muito pouco...
Li dia desses, que a grande tragédia da vida é que demoramos para ficar sábios e, paradoxalmente, ficamos velhos rápido demais. Assim, eu tento experimentar as alegrias que me são possíveis, aquelas que meus recursos econômicos permitem, aquelas que a minha idade ainda não limita, aquelas que fazem me coração bater mais forte e mais corajoso...
Não tenho autoridade para dar conselhos a ninguém e tampouco me considero expert em coisa alguma. Sou apenas uma pessoa curiosa, desejosa de ficar por esse mundo pelo máximo de tempo possível, porque espera dele o bem, mas não se olvida do mal. Se eu pudesse dar uma única sugestão, diria às pessoas para pararem de perder tempo, de desperdiçar o presente e as chances de explorar as coisas simples da vida. Sermos felizes, ainda que hajam dias difíceis, momentos de dor, é parte de nossa missão nesse mundo.
Quando tudo parecer perdido, quando a dor parecer forte demais, sugiro voltar os olhos para a grandeza do universo, na esperança de que em algum lugar as coisas possam fazer sentido. Se nada disso ajudar, procuremos o menor espaço no qual o Criador habita: o abraço de alguém querido...
Por amor à vida, vale tudo que não prejudicar o próximo, vale até fingir que um dia vale por dois e a vida não tem dias finitos...
 
 
 
 
 
CINTHYA NUNES VIEIRA DA SILVA    -  Advogada, mestra em Direito, professora universitária e escritora   -  São Paulo.


publicado por Luso-brasileiro às 11:02
link do post | favorito

Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres




mais sobre mim
arquivos

Novembro 2020

Outubro 2020

Setembro 2020

Agosto 2020

Julho 2020

Junho 2020

Maio 2020

Abril 2020

Março 2020

Fevereiro 2020

Janeiro 2020

Dezembro 2019

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

pesquisar
 
links