PAZ - Blogue luso-brasileiro
Quarta-feira, 25 de Setembro de 2013
CINTHYA NUNES VIEIRA DA SILVA - ENROLANDO A LÍNGUA

 

 

 

 

 

 

 

 

            Talvez a ideia tenha nascido pelo fato de praticar de uma arte marcial japonesa, talvez pelo fato de ter morado quase a vida toda em cidades nas quais a comunidade japonesa sempre foi abundante e, por isso, não apenas ter convivido com muitos japoneses e descendentes, mas com sua cultura, mas, seja pelo que for, inventei de aprender japonês.

 

            Assim, matriculei-me em uma aula semanal de uma e meia com uma professora nativa. Ajudou o fato de a professora ser ótima e da turma ser diminuta, mas eu tenho me sentido, a par disso, na pré-escola. Já nas primeiras aulas fui apresentada ao alfabeto. Não apenas para conhecer, mas para aprender a escrever.

 

            Caderno de caligrafia na mão e um nó no cérebro, lá fui eu. Acho que nem meus primeiros rabiscos de infância foram tão vacilantes. Começa que a coisa toda se dá de trás para frente, o que por si só subverteu uma ordem já arraigada no meu subconsciente e me deixou vacilante por um bom tempo. Além disso, a ordem das letras não é a, e, i, o, u, mas a, i, u, e, o. Pensa agora se meu pobre cérebro não começou a entrar em parafuso...

 

            Fiz uma aeróbica cerebral e decorei os primeiros passos. Fui, assim, confiante para segunda aula e depois de várias outras letras e primeiras palavras, concluí que o risco de dar curto circuito nas minhas ideias é mais de 100%. Agora, antes de cada nova aula, já começa a me dar um frio na barriga... Sei que a professora vai me perguntar mil coisas e eu ainda memorizando e tentando dar lógica à primeira meia dúzia de palavras que eu ouvi...

 

            Resolvi, contudo, que não irei me render. Mesmo que eu tenha que gastar todo meu estoque de fosfato, providenciar novas sinapses, emprestar um pouco de inteligência artificial, ainda irei escrever e falar japonês o suficiente para uma viagem que sonho em fazer, um dia, a terra do Sol Nascente...

 

            Quem sabe, depois disso, seja quando for, eu não me aventure para um coreano, chinês ou mandarim, isso se me sobrar alguma capacidade cognitiva para tanto. Confesso, entretanto, que há, também, nesse intento, certo desejo de vingança, de entrar em um restaurante oriental e responder quando começarem a falar perto de mim, como se eu e  mais ninguém estivéssemos presentes. É quase como um amigo que disse que tinha um sonho de montar uma pastelaria no Japão e ficar falando português com alguém o tempo todo, só para ver a cara dos clientes, hehehe...

 

            Enfim, sei que a cada dia, para alcançar esse objetivo de conhecer um pouco dessa língua tão apartada da portuguesa, terei que me dedicar, estudar e até mesmo torcer para que eu não entre em parafuso antes disso. Em um devaneio fico me lembrando da música do Djavan e penso em como seria “aprender japonês em braile”...

 

 

 

 

CINTHYA NUNES VIEIRA DA SILVA    -   Advogada, mestra em Direito, professora universitária e escritora   -  São Paulo.

           



publicado por Luso-brasileiro às 10:36
link do post | favorito

Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres




mais sobre mim
arquivos

Dezembro 2020

Novembro 2020

Outubro 2020

Setembro 2020

Agosto 2020

Julho 2020

Junho 2020

Maio 2020

Abril 2020

Março 2020

Fevereiro 2020

Janeiro 2020

Dezembro 2019

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

pesquisar
 
links