PAZ - Blogue luso-brasileiro
Domingo, 20 de Junho de 2010
PAULO ROBERTO LABEGALINI - COISAS DA VIDA

 

                        

 

 

Um sujeito lembrou que era o dia do aniversário da filha e que ainda não havia comprado um presente. Então, entrou numa loja e perguntou à vendedora:

– Quanto custa uma boneca Barbie?

– Depende – respondeu ela. – Temos: Barbie vai à academia, Barbie joga vôlei, Barbie vai às compras, Barbie vai à praia, Barbie vai dançar e Barbie divorciada.

– Tem diferença nos preços?

– A Barbie divorciada custa R$ 265,95 e as outras custam apenas R$ 39,95.

Ele se assustou com o preço da primeira boneca e perguntou:

– Mas, por que a divorciada é tão mais cara que as outras?

– Meu senhor, a Barbie divorciada vem com: o carro do Bob, a casa do Bob, a lancha do Bob, o trailer do Bob, os móveis do Bob e o celular do ex-marido Bob!

Bem, isto é apenas uma brincadeira da internet, mas sabemos que casos como este existem. Na separação de casais, muitos problemas acontecem e nem sempre o bom senso prevalece. Não me refiro somente à partilha de bens, mas, sobretudo, ao amor que deixou de existir.

Compreendo que o desejo dos cônjuges em ficar juntos possa ter acabado, porém, um não precisa ser inimigo do outro. Na intenção de ver o parceiro sofrer, a pessoa má intencionada começa perder a graça de Deus em sua própria vida. Jesus ensinou: reze pelos seus inimigos.

É simples entender que o amor é um dom gratuito que recebemos no Batismo e não temos o direito de aprisioná-lo. Quando abrimos o coração e o disponibilizamos ao irmão que sofre, se torna caridade. E a verdadeira caridade é aquela que tem sentido de compaixão – como Cristo praticou.

Não basta eu ter pena de alguém; se não acolho o sofrimento do próximo no coração e não me entrego na ajuda que ele precisa, fico distante da solução do problema. Ao adoecer um parente próximo, por exemplo, não nos envolvemos até o pescoço? Pelo menos um pouco desse amor deveria ser compartilhado com outros irmãos de fé, não acha?

Mas, quando entra o bendito dinheiro na história, quase tudo muda de figura. Temos em mente que: não vou repartir aquilo que ganhei com o meu suor; ao pobre dou apenas algumas moedinhas; não pagarei dízimo à Igreja etc.

Voltando a falar do divórcio, o dinheiro também é uma das maiores causas dos conflitos, principalmente durante e após a separação. Quem é rico, se apega tanto aos bens que parece ter medo de ficar pobre! Quem não tem muito, parece que quer deixar o parceiro na miséria! Será tão difícil entender que Deus deu a ambos – juntos! – a graça de possuírem alguns bens materiais aqui na Terra? Por que um precisa fechar a porta para o outro? E quem cuida da tristeza dos filhos quando cada um só pensa em si?

Hoje em dia, casais separados são comuns em nosso meio. Mesmo com aconselhamento que ‘a união se deu para sempre’, a Igreja Católica os acolhe com carinho e os orienta a perseverar na fé. Para isso, algumas reflexões de vida precisam periodicamente acontecer, como nesta história que já contei nesta coluna e revivi na reunião de Ministros da Comunhão Eucarística na semana passada.

Um grupo de jovens formados e bem estabelecidos em suas carreiras decidiu visitar um velho professor da faculdade que sempre serviu de inspiração para eles. Durante a visita, o bate-papo se transformou em reclamação sobre o estresse em seus trabalhos e relacionamentos.

Ao oferecer chocolate quente a seus ex-alunos, o professor foi à cozinha e retornou com uma jarra cheia da bebida e com grande variedade de canecos. Alguns eram de porcelana, outros de vidro e de cristal, uns simples, outros caros e bonitos, e até alguns bem feios. Então, ele os convidou a se servirem da bebida.

Quando todos já estavam com o chocolate quente em mãos, o professor compartilhou seu pensamento:

Percebam que os canecos caros e bonitos foram os escolhidos, e que os simples e baratos foram deixados na mesa. Embora vocês achem normal desejarem os melhores para si, é aí que está a fonte dos problemas. O caneco no qual cada um está bebendo não acrescenta nada à qualidade da bebida; na maioria das vezes ele é apenas mais caro ou esconde o que se está bebendo. Vocês não queriam os canecos, apenas chocolate, mas inconscientemente escolheram os melhores.

Agora, por favor, considerem o seguinte: a vida é o chocolate quente; o emprego, o dinheiro e a posição na sociedade são os canecos – apenas ferramentas que fazem parte da vida. Às vezes, ao concentrarmos somente no caneco, deixamos de saborear o chocolate que o Céu tem nos ofertado. Lembrem-se sempre disto: Deus provê o chocolate; Ele não escolhe o caneco!

As pessoas mais felizes não são as que têm o melhor de tudo, mas as que fazem o melhor de tudo que têm. Viva simplesmente, ame generosamente, cuide-se imensamente, fale bondosamente e deixe o resto com Deus. Os mais ricos não são os que têm mais, mas os que precisam de menos.

Agora, aproveite você também, leitor, seu chocolate quente!

 

PAULO ROBERTO LABEGALINI --    Escritor católico, Professor Doutor da Universidade Federal de Itajubá-MG. Pró-reitor de Cultura e Extensão Universitária da UNIFEI

 



publicado por Luso-brasileiro às 14:25
link do post | comentar | favorito

mais sobre mim
arquivos

Dezembro 2020

Novembro 2020

Outubro 2020

Setembro 2020

Agosto 2020

Julho 2020

Junho 2020

Maio 2020

Abril 2020

Março 2020

Fevereiro 2020

Janeiro 2020

Dezembro 2019

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

pesquisar
 
links