PAZ - Blogue luso-brasileiro
Domingo, 26 de Novembro de 2017
ARMANDO ALEXANDRE DOS SANTOS - AUTORIDADE E AUTORITARISMO EM SALAS DE AULA

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 É fundamental, para o bom funcionamento do sistema de aprendizado, que o professor saiba manter sua autoridade e se faça respeitar pelos alunos. Mas para isso, não há necessidade de ser autoritário nem prepotente. Muitas vezes, aliás, os excessos de autoritarismo nada mais são do que sinais de insegurança e fraqueza... e os alunos logo se dão conta disso.

Assisti certa vez a uma conferência pomposíssima de uma professora famosíssima, numa instituição prestigiadíssima, para expor uma "abordagem nova" de um velho tema...
No final da "baladadíssima" sessão, quando foi aberta a palavra às perguntas, uma jovem aluna de pós-graduação, muito educadamente, pediu que a conferencista explicasse melhor uma coisa que ela não tinha entendido bem. Pediu que mostrasse o que havia de novo na abordagem inovadora, pois já era o que se fazia, naquela disciplina, havia mais de 30 anos. O objeto era o mesmo, o enfoque não variava, a metodologia era exatamente a mesma... só o nome e os recursos tecnológicos utilizados estavam mudando. Mas, notem, a menina não
apresentou essa pergunta como algo desafiador ou como quem quer contestar, apenas perguntou. E ressalvou que era nova na área, que sua formação era insuficiente, que podia não ter entendido alguma coisa. Foi, em última análise, muito humilde.

No entanto, a imponente professora se sentiu ofendida, ou pelo menos assim pareceu, porque começou humilhando a menina?

A resposta foi uma longa digressão sobre seu currículo e sobre sua experiência na área, desde o mestrado que - fez questão de enfatizar - fora feito antes de a aluna sequer ter nascido... Discorreu, durante 10 ou 15 minutos, sobre seus títulos, sobre os livros que publicara, sobre as universidades estrangeiras em que estagiara etc. etc. E não respondeu ao central da questão, que a incomodava, obviamente. Fez-se um mal estar generalizado na sala, e ninguém mais perguntou nada. Perguntar, para quê?

Parece-me que atitudes dessas não são consentâneas com a de uma verdadeira professora e não contribuem para aumentar o prestígio de uma cátedra, seja universitária seja de ensino médio ou até fundamental. É claro que não se pode aprovar a contestação gratuita, pelo mero gosto de contestar, muito frequente entre adolescentes imaturos. Mas o professor tem que contar com isso e, sobretudo, não pode querer se impor pela mera autoridade. Há formas mais sutis e inteligentes de afirmar o princípio da autoridade. Poucas coisas dão tanta autoridade a um professor como reconhecer, diante dos alunos, que não sabe alguma coisa e que vai estudar melhor para responder na próxima aula. E até mesmo convidar os alunos a explorarem e pesquisarem, juntamente com ele, o tema da pergunta que não soube responder.

Quando eu lecionava para alunos de Ensino Médio, costumava provocá-los para que me questionassem. Eu dizia: - se um de vocês me fizer uma pergunta inteligente sobre a matéria que está sendo lecionada, darei um ponto a mais na média final: se a pergunta for tão difícil que eu não saiba responder e precise pesquisar para responder na aula seguinte, o aluno receberá dois pontos a mais; e se um de vocês notar um erro no que estou ensinando e souber apontá-lo e defender sua posição com argumentos sólidos, darei três pontos a mais.

Ás vezes, eu até brincava: - sabem o melhor modo de irritar um professor? Não é fazendo bagunça ou indisciplina na sala... O melhor mesmo é vocês estudarem antes a matéria que o professor vai lecionar na aula seguinte. Estudem, leiam, pesquisem, venham para a aula cheios de informações, dúvidas, perguntas, objeções e discutam com o professor com conhecimento de causa... e garanto que ele ficará irritadíssimo!

Isso é muito mais “gostoso” (e sobretudo muito mais formativo) para um aluno do que ficar infantilmente fazendo bagunça...

 

 

 

 

ARMANDO ALEXANDRE DOS SANTOS é historiador e jornalista profissional, membro do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro e da Academia Portuguesa da História.

 



publicado por Luso-brasileiro às 15:47
link do post | favorito

Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres




mais sobre mim
arquivos

Novembro 2020

Outubro 2020

Setembro 2020

Agosto 2020

Julho 2020

Junho 2020

Maio 2020

Abril 2020

Março 2020

Fevereiro 2020

Janeiro 2020

Dezembro 2019

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

pesquisar
 
links