PAZ - Blogue luso-brasileiro
Sexta-feira, 30 de Maio de 2014
ARMANDO ALEXANDRE DOS SANTOS - AS NOVE FILHAS DA MEMÓRIA

         

 

                  

 

 

 

 

 

Em matéria artística, muito pouca coisa se cria, quase tudo se transforma ou, melhor, se imita. Se examinarmos com cuidado a extensa relação dos pintores, dos músicos, dos literatos, dos escultores, dos arquitetos, dos poetas e de todos aqueles que, num sentido muito amplo, podem ser designados como artistas, veremos que pouquíssimos foram realmente inovadores.

 

Quase todos imitaram. Ou imitaram fazendo pequenas alterações e adaptações ao que outros antes já tinham feito, ou imitaram ao inverso, mais ousadamente, rompendo com um estilo, mas fazendo exatamente o contrário daquele estilo – ou seja, tomando o estilo anterior como referência.  Mesmo neste último caso, o estilo anterior foi o referencial, foi a partir dele que surgiu a obra nova.

 

É claro que há imitações de alto nível, como também há imitações medíocres, de baixo nível, oportunísticas. Em literatura, isso é fácil de constatar. O extraordinário sucesso dos sete livros de Harry Potter - que foram editados em 67 idiomas e venderam cerca de um bilhão de exemplares – ensejou um número enorme de imitadores que logo se apresentaram ao público. Com exceção de alguns poucos que demonstraram inegável talento e produziram obras de valor, todos os outros se revelaram campeões de mediocridade e produziram obras-primas de mesmice e sensaboria.

 

Sem memória não existe arte. Criar algo do nada é atributo divino, nenhum homem pode fazê-lo. É a partir de experiências e informações registradas pela memória que o talento dos artistas se aplica e executa as suas obras. Essa verdade já era reconhecida pelos gregos antigos, que na sua mitologia (profundamente impregnada, por sinal, de princípios filosóficos) viam as Musas, as deusas das Artes, como sendo filhas de Mnemósine, a deusa da Memória.

 

Eram nove as Musas: 1) Calíope, a musa da eloquência e da poesia épica, era considerada a inspiradora dos poetas; 2) Clio, a musa que celebrava e cantava a glória dos feitos militares, era também a musa da História; 3) a arte musical tinha como deusa Euterpe, que constava ser a inventora da flauta, do pífaro, dos instrumentos de sopro em geral; 4) Tália era a patrona da comédia; 5) Melpômene o era da tragédia, presidindo também ao canto e à harmonia vocal; 6) Erato, conhecida por sua amabilidade, era a responsável pela inspiração dos poetas líricos, cantadores dos sentimentos humanos; 7) Polímnia era a musa da oratória, protegendo também os retóricos, que utilizam a palavra para a exposição e a defesa de suas ideias; 8) Terpsícore regia a dança e também protegia os corais dramáticos; 9) e, por fim, Urânia, a última das musas, era a inspiradora dos estudos astronômicos, da matemática, das Ciências Exatas em geral.

 

 

 

 

 

ARMANDO ALEXANDRE DOS SANTOS , é historiador e jornalista, membro do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro.



publicado por Luso-brasileiro às 11:57
link do post | favorito

Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres




mais sobre mim
arquivos

Dezembro 2020

Novembro 2020

Outubro 2020

Setembro 2020

Agosto 2020

Julho 2020

Junho 2020

Maio 2020

Abril 2020

Março 2020

Fevereiro 2020

Janeiro 2020

Dezembro 2019

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

pesquisar
 
links