PAZ - Blogue luso-brasileiro
Quinta-feira, 30 de Abril de 2020
CINTHYA NUNES - AVENTURAS EM SÉRIE

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Cinthya Nunes Vieira da Silva.jpg

 

 

 

 

 

 

 

 

            Em dias de quarentena a maioria das pessoas está atolada de serviços domésticos. De repente urge passar um pano para tirar o pó que se acumula sobre os móveis e faz todo mundo espirar. Espirros, aliás, nesses tempos virais, são piores do que soltar pum em público. Todo mundo te olha com um misto de pavor e reprovação. É o famoso “espalha rodinha”. Se bem que nem a rodinha de conversa é permita atualmente.

            Enfim, entre as mil tarefas do lar, as quais consomem grande parte do dia de muitas pessoas, sobretudo dos novos donos e donas de casa, uma opção de lazer acessível e segura é assistir televisão. Tenho evitado um pouco os noticiários, pegando um único resumo ao final do dia, mas depois que termino minhas obrigações diárias, sigo navegando pelos canais em busca de algo que possa me desligar nas inevitáveis preocupações, quase sempre indo parar no NETFLIX.

            Para quem não conhece, o NETFLIX é um serviço que, mediante pagamento de assinatura mensal, permite o acesso a uma plataforma repleta de filmes e séries, muitos deles originais e exclusivos. Minha preferência tem sido para as séries e tenho me surpreendido positivamente com o conteúdo de várias. Séries tem o mérito de permitir nossa permanência por mais tempo nas estórias que elas retratam. Temos tempo de nos ambientarmos no local onde os fatos se passam, bem como conhecer melhor os personagens, trazendo-nos uma sensação de familiaridade e creio que isso seja o que nos faz continuar acompanhando o desenrolar da trama.

            Encontrei duas de humor das quais gostei bastante. Ambas tratam de pessoas com mais de setenta anos, mostrando, de modo jocoso e inteligente, que a vida pode ser divertida e produtiva em qualquer idade. Grace and Frankie é estrelada por duas atrizes veteranas e as várias temporadas são diversão garantida. O Método Kominsky, protagonizado por Michael Douglas, trata de questões como envelhecimento, doença e morte, com um humor fino e ácido. Ambas provocam reflexões necessárias, trocando lágrimas por risadas.

            Gosto muito de temas policiais e descobri que há muita coisa boa com essa temática, para além do cinema americano e do glamour de Hollywood. Assisti Bordertown, Deadwind e Trapped recentemente e gostei bastante das três, sobretudo porque as duas primeiras são ambientadas na Finlândia e a última na Islândia, países sobre os quais eu quase nada sabia. Com tramas bem construídas, permitem ainda um tour pelos frios países e seus costumes. Paisagens de congelar a alma, mas que despertaram em mim o desejo de, quem sabe um dia, se o vírus permitir, conhecer pessoalmente tais lugares.

            Um ponto que chamou a minha atenção foi que nessas produções os personagens são representados por pessoas mais “normais”, sem cabelos super produzidos, maquiagem complexa às seis da manhã ou corpos esculturais. E penso que andamos precisando do menos em substituição ao mais, não só nesse mas em vários outros quesitos da vida. A qualidade das imagens, das cenas e do roteiro, ainda, em nada deixam a desejar, seja qual for o ponto de comparação.

            Esses são apenas alguns exemplos recentes, mas já perdi as contas de quantas séries assisti nessa quarentena. E elas existem para todos os gostos e idades, havendo infantis, adolescentes, de humor, terror, suspense, comédia, etc. Por óbvio que assistir a séries não nos irá tirar a dor de ver tanta coisa ruim acontecendo ao nosso redor, mas pode aliviar um pouco o estresse de não poder trabalhar, de não poder abraçar parentes e amigos. Se não podemos fugir em corpo, que nossos olhos e pensamentos possam ao menos nos distanciar momentaneamente do caos.

 

 

 

 

CINTHIA NUNES  -  é jornalista, advogada, professora universitária e está maratonando séries para prosseguir viajando – cinthyanvs@gmail.com 



publicado por Luso-brasileiro às 13:36
link do post | comentar | favorito

mais sobre mim
arquivos

Novembro 2020

Outubro 2020

Setembro 2020

Agosto 2020

Julho 2020

Junho 2020

Maio 2020

Abril 2020

Março 2020

Fevereiro 2020

Janeiro 2020

Dezembro 2019

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

pesquisar
 
links