PAZ - Blogue luso-brasileiro
Domingo, 27 de Novembro de 2016
CINTHYA NUNES VIEIRA DA SILVA - JORNAL PARA CACHORRO

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Cinthya Nunes Vieira da Silva.jpg

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Dia desses, saindo do metrô, olhei para a banca de revistas que fica muito próxima e li um pequeno cartaz no qual estava escrito "Temos Jornal para Cachorro". Por óbvio que, para uma curiosa crônica como eu, o estranho anúncio não poderia passar despercebido. Demorei alguns minutos para me dar conta da verdadeira destinação dos referidos jornais. Por alguns minutos, contudo, foi engraçado pensar em um jornal destinado ao público canino, o que perfeitamente poderia ocorrer em um mundo de fantasia, em algum universo paralelo, desses que dão vida a filmes que transbordam nosso imaginário. 

Fiquei imaginando quais as notícias um jornal para cachorro poderia ter e, dando asas à imaginação, supus que as principais manchetes seriam sobre os melhores lugares para se fazer xixi e dicas de especialistas sobre “como convencer seu dono a te dar a comida dele e que não foi você que começou a briga com a almofada”. No boletim feminino, talvez houvesse algo sobre “como lidar com os a TPC, também conhecida como tensão pré-cio” ou a luta para substituir os termos Cadela e Cachorra por algo menos pejorativo.

Maluquices à parte, os jornais anunciados na Banca se destinam a servir de banheiro para os cães, sendo comum também serem colocados para forrar ambientes nos quais há animais de estimação. Dei uma olhada melhor para a pilha de jornais postos à venda e notei que deviam ser jornais que não foram vendidos e cujas notícias se tornaram amanhecidas, tal como pão duro, não mais servindo para os seus fins primordiais e essa ideia me levou a outras reflexões, sobre as quais prossegui, no percurso que fiz a pé, matutando.

Fiquei imaginando quantas notícias não lidas devem jazer no fundo de caixas, gaiolas, solapadas de xixi e cocô de cachorro. Provavelmente esse mesmo texto que agora escrevo vá ocupar esse espaço na casa de alguém. Se nessa hora a pessoa se dispusesse a ler as palavras aqui escritas, veria minha mão levantada, pedindo para que me dessem um minuto de atenção antes que minha escrita venha a sucumbir, sem leitura, virgem, no mundo do que nunca se leu ou será lido. Ao escrever sobre isso, inclusive, sou tomada de um certo pavor, receosa de permitir que meus textos deixem o conforto (às vezes desconforto) das minhas ideias e de meu teclado, eis que, postos no mundo, não mais me pertencem, não mais os posso proteger... Nesse sentido, são como filhos de papel, paridos para serem livres, para buscar quem os queira aproveitar.

É fato, porém, que muitas das notícias trazidas pelos jornais, não por culpa dos jornalistas ou redatores, mas pelos protagonistas das histórias e fatos relatados, sobretudo nos últimos tempos, andam mais dignas de serem Jornal para Cachorro do que de ocuparem espaço nas vidas alheias. É tanta corrupção, tanta falcatrua anunciada, que dá desgosto até saber o que mais se descobriu, até porque qualquer um pode imaginar que apenas se trata da ponta de um iceberg de proporções astronômicas.

Ler que a maior Casa Legislativa Brasileira quer anistiar os praticantes de Caixa 2 faz com que todo cidadão de bem, para além de poder enfartar ou ter uma congestão, seja chamado, no mínimo, de idiota. Talvez devêssemos colocar, mesmo para as notícias mais frescas, uma advertência de que se trata de Jornal para Palhaços. Pobres de nós, cidadãos de bem, cumpridores de nossas obrigações, espoliados até os ossos por uma corja podre, venal e cretina que não teme a espada da lei, apropriando-se do dinheiro público e usando para forrar seus chiqueiros, a bandeira brasileira...

 

 

 

CINTHYA NUNES VIEIRA DA SILVA - Advogada, mestra em Direito, professora universitária e escritora - São Paulo.  -  cinthyanvs@gmail.com

 

 



publicado por Luso-brasileiro às 18:55
link do post | favorito (1)

Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres




mais sobre mim
arquivos

Dezembro 2020

Novembro 2020

Outubro 2020

Setembro 2020

Agosto 2020

Julho 2020

Junho 2020

Maio 2020

Abril 2020

Março 2020

Fevereiro 2020

Janeiro 2020

Dezembro 2019

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

pesquisar
 
links