PAZ - Blogue luso-brasileiro
Terça-feira, 27 de Junho de 2017
CINTHYA NUNES VIEIRA DA SILVA - MUNDO QUE GIRA

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Cinthya Nunes Vieira da Silva.jpg

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

                Aos poucos vou aprendendo com a vida. Acredito que esse eterno aprendizado faça mesmo parte da vida de todos que caminham sobre esse mundo. Aqueles que perdem essa oportunidade ou que ignoram essa necessidade, por certo perdem as lições mais importantes sobre viver. É fato que os ensinamentos nem sempre são indolores, ou muito ao contrário. Complicado tentar ver o lado bom das coisas quando se está em meio ao furacão. Então, que seja uma lição que venha a reboque, mas que sirva para algo, que tenha significado além da dor.

                Para nossa sorte, contudo, nem tudo nos apresentado de forma dolorosa. Há as mais lindas e valiosas notas de sabedoria que são trazidas pelos momentos alegres, felizes. Acredito apenas que, nessas horas, poucos de nós tem olhos para ver que é importante valorizar todo o bem que nos vem, que é preciso sermos gratos a todo momento. É aquela velha história de só se lembrar de pedir a Deus quando se avizinha a escuridão e de não dar graças ao Universo diante da Luz.

                Complicados são os seres humanos. Dotados de um cérebro que é capaz de propiciar viagens a outros planetas e que, ao mesmo tempo, é capaz de aprisionar almas em meio à loucura. De tão pequenos que somos diante da Criação falta-nos o entendimento necessário para sabermos nosso real papel nesse mundo, nosso propósito diante de nós mesmos e do nosso próximo. Somos paradoxais e só isso já é uma tormenta, uma cruz que temos que carregar.

                Assim, temos que nos habituar ao fato de que o mundo, mesmo à revelia de nossos planos, gira e faz com que a vida de cada um tenha o percurso que está destinado a ter. Se temos a escolha de deixarmos o movimento fluir, podemos nos movimentar juntos, aceitando ao menos aquilo que não podemos mudar. Sem dizer que, às vezes, o mundo de cada um gira mesmo, tal como aconteceu comigo nessa semana e de uma forma nada geográfica ou figurativa.

                Quando eu era criança sofria de crises de labirintite e elas eram tão fortes que me faziam ficar deitada o dia todo, no escuro, até que tudo parasse de girar ao meu redor. Com o passar dos anos isso tudo diminuiu bastante e episódios como esse se tornaram muito raro. Nessa semana, contudo, tentar me levantar de madrugada para beber água, percebi que tinha algo errado assim que abri meus olhos, pois parecia que eu estava dentro de um chocalho de uma criança enfurecida.

                O resultado foi que, de tão mal que passei, fui obrigada a ficar de cama o dia todo. Por óbvio que não foi o mesmo que ficar de boa o dia todo, vendo televisão ou lendo meus livros de mistério. Fiquei mesmo é deitada, praticamente sem me mexer e na escuridão, eis que cada barulho ou luminosidade faziam com que eu voltasse à montanha russa que se instalara no meu cérebro. No fim das contas, foi um dia inteiro perdido, uma quinta-feira na qual não vi a luz do sol, não conversei com quase ninguém e quase que nem fiquei em pé, para ser franca.

                No dia seguinte eu já estava muito melhor e extremamente grata por ter um dia de trabalho, de sol ou de chuva, pela frente. Uma vez mais, eu me dei conta, meu mundo girara para me fazer lembrar de estar bem é mais relevante do que qualquer outra preocupação comezinha. Nada como poder produzir, poder ser útil, poder simplesmente contemplar o melhor das coisas, e ainda que nada disso faça com que o pior deixe de existir, com certeza o enfraquece. E viva os dias nos quais somos capazes de sermos nós mesmos, de termos a chance de começarmos tudo de novo...

 

 

 

 

 

CINTHYA NUNES VIEIRA DA SILVA - Advogada na Silva Nunes Advogados Associados, professora universitária, membro da Academia Linense de Letras e cronista.       São Paulo.  -  cinthyanvs@gmail.com

              



publicado por Luso-brasileiro às 15:20
link do post | comentar | favorito

mais sobre mim
arquivos

Dezembro 2020

Novembro 2020

Outubro 2020

Setembro 2020

Agosto 2020

Julho 2020

Junho 2020

Maio 2020

Abril 2020

Março 2020

Fevereiro 2020

Janeiro 2020

Dezembro 2019

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

pesquisar
 
links