PAZ - Blogue luso-brasileiro
Segunda-feira, 29 de Fevereiro de 2016
CINTHYA NUNES VIEIRA DA SILVA - NAS ENTRELINHAS DO METRÔ

 

 

 

 

 

 

 

 

Cinthya Nunes Vieira da Silva.jpg

 

 

 

 

 

 

 

 

 

            Desde que me mudei para São Paulo passei a ser uma usuária frequente do metrô. Semanalmente eu me utilizo desse meio de transporte ao menos umas quatro vezes. É o meu meio de transporte coletivo preferido. Ainda que deixe a desejar em alguns aspectos, tenho sorte de não precisar dele nos horários de pico e assim, acabam sendo bem raras as vezes nas quais eu o encontro lotado.

            Aqui nessa cidade colossal eu tive (e ainda tenho!) dificuldade de me locomover de carro, se estiver ao volante. É que meu senso de direção, de localização veio com defeito de fábrica e como os recalls não estão disponíveis para o modelo “gente”, acaba que, para certos destinos, nem GPS me salva. Começa que me atrapalho ao ficar olhando para dito cujo e prestar atenção no trânsito. Morro de medo de ser xingada por cometer alguma barbeiragem, mas tenho ainda mais pavor de errar o caminho e ficar perdida.

            A grande questão, em verdade, é essa! Durante alguns anos da minha vida eu vivia na estrada, por conta de trabalhar em uma cidade diversa da qual morava e, não raras vezes, viajava sozinha por mais de 600 quilômetros. Como eu sabia o caminho, tudo era muito tranquilo e sem qualquer tipo de stress. Ou seja, meu medo, nem de longe é de dirigir, mas o de não saber para onde estou indo...

            Assim, quando me mudei para Sampa acabei deixando meu carro meio de lado, cada hora dando uma desculpa para não ter que dirigir sozinha, exceto para locais próximos, cujos percursos eu já havia decorado. Parecia-me (e ainda parece!) que eu podia pegar, por engano, um caminho sem retorno e fosse parar em algum lugar perigoso e, só de pensar nisso o meu coração já acelerava e eu começava a entrar em pânico.

            Quando meu carro foi levado por um marginal bem de frente a minha casa, eu acabei resolvendo não comprar outro e passei a usar bastante o metrô, táxi e meus pés. No metrô eu sei que o caminho nunca muda, rs... Também sei que todas as linhas se cruzam e, se eu errar a estação, basta embarcar de novo, no sentido oposto.

            Desse modo, para além do metrô me permitir a segurança do destino certo, ainda não se prejudica muito com a chuva e nem se incomoda com o congestionamento. Para o meu lado cronista, inclusive, o metrô é uma quase infinita fonte de observações. Não há uma única vez na qual eu não veja algo digno de nota, mesmo que nem sempre sejam boas coisas.

            Nessa semana, por exemplo, eu estava indo para a faculdade logo pela manhã. Entrei no vagão um pouco mais cheio do que de costume, mas nada que fosse desagradável. Mentalmente eu me agradeci por, nesse dia, ter escolhido o metrô para ir trabalhar, já que eu chegaria bem rápido. Quando faltava uma estação para o meu destino, entretanto, o metrô parou. Desligou até mesmo as luzes e uma voz nos avisou de que havia um usuário na linha, razão pela qual ficaríamos ali parados por um tempo. Dez minutos depois e eu já estava em pânico tentando verificar se meu celular tinha sinal, para ver se eu conseguia avisar aos meus quarenta alunos que, embora muito próxima, eu iria me atrasar.

            Além da minha raiva, um tanto egoísta é claro, embora acompanhada de todos os demais que já estavam impacientes, eu fiquei pensando em como era triste que alguém escolhesse dar cabo à própria vida e ainda que escolhesse fazer isso atrapalhando a vida dos outros. No mesmo vagão no qual eu estava havia uma mãe segurando no colo uma criança que aparentemente estava bem doente, submetendo-se a algum tratamento agressivo e era impossível não pensar que, enquanto um lutava para viver, alguém desistira disso...

            Respirei fundo e resolvi que não adiantaria de nada reclamar ou ficar nervosa. Minutos depois o metrô voltou a se movimentar e logo eu estava em sala de aula, cercada de uma moçada bonita e cheia de alegria. Naquele dia, mais tarde, enquanto eu voltava de metrô para casa, fiquei imaginando que enquanto eu me afligia por temer pegar o caminho errado, há almas tristes que sequer tem coragem de seguir adiante, mesmo na segurança de um caminho de idas e vindas...

 

 

CINTHYA NUNES VIEIRA DA SILVA - Advogada, mestra em Direito, professora universitária e escritora - São Paulo.  -  cinthyanvs@gmail.com



publicado por Luso-brasileiro às 10:53
link do post | comentar | favorito

mais sobre mim
arquivos

Novembro 2020

Outubro 2020

Setembro 2020

Agosto 2020

Julho 2020

Junho 2020

Maio 2020

Abril 2020

Março 2020

Fevereiro 2020

Janeiro 2020

Dezembro 2019

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

pesquisar
 
links