PAZ - Blogue luso-brasileiro
Quarta-feira, 27 de Dezembro de 2017
HUMBERTO PINHO DA SILVA - CONTO DO VIGÁRIO

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Das numerosas histórias, que meu pai narrava, sobre a nossa família, havia uma, que nunca esqueci.

Não tanto, por a ter escutado várias vezes, mas por versar tema, que me impressionava:

Sofia era tia-avó de meu pai. Jovem, alegre, bonita e brincalhona. Casou cedo – como era costume, nas moças do seu tempo.

Meses após o matrimónio, o marido, resolveu embarcar. Embarcar para o Brasil, terra prometedora, onde era fácil juntar fortuna.

Vendeu os poucos bens que possuía, e abalou, na companhia da jovem mulher, para Santos. Dai tomou comboio para São Paulo, onde o esperava, português, amigo de infância.

Decorrido meses, estabeleceu-se; e tanta sorte tiveram (ele e o amigo,) que o negócio progredia a olhos vistos. Podia-se dizer: estavam ricos, ou pelo menos bem lançados na vida.

Andava a Sofiinha metida num sino. Ao visitar a amiga Júlia de Castro, não se conteve, e confessa-lhe: “ que nunca pensou levar vida tão folgada…."

Mas a sorte, tanto anda, como desanda. O marido adoeceu. Por recomendação médica, mudou-se para Campos de Jordão, mas pouco lhe adiantou: faleceu.

Meses depois do funeral, ao receber a parte, que tinha direito, o sócio, levando-a para o escritório da firma, disse-lhe, em voz de pesar e conselheira:

- “ Sofiinha: você sabe como era amigo do falecido. A Sofiinha esteja descansada, receberá sempre o que lhe é devido dos lucros da padaria. Mas, por que não regressa a Portugal? Sempre estava na sua terra… na companhia dos seus. Sabe como é: viúva, em terra grande…nunca está segura.”

Sofiinha pensou, tornou a pensar, e concluiu: que o sócio tinha razão.

Assentou, então, aceitar o parecer do amigo.

Passou procuração. Fez as malas. Despediu-se das poucas amigas, e partiu para Santos, na companhia da família do sócio.

Regressada à casa paterna, aguardou o envio do dinheiro, conforme combinara. Como tardasse, escreveu…Não obteve resposta.

Receosa, consultou advogado, contando-lhe o sucedido.

Decorrido meses, soube o seguinte:

O sócio, obtida a assinatura na procuração, passou a padaria para seu nome.

Tinha caído no conto do vigário.

Concluía, assim, meu pai: “ Não se pode acreditar em ninguém! Muito cuidado a passar procurações e assinar folhas em branco ou parcialmente preenchidas, porque não falta quem dizendo-se muito honrado e amigo – nos tire o que é nosso, e ainda temos que agradecer, se não nos deixar dividas! …”

Eu, que já muito vivi, garanto-vos que todo o cuidado é pouco, principalmente, quando nos cercam com palavras mansas e bocas cheias de risos…

 

 

 

HUMBERTO PINHO DA SILVA   - Porto, Portugal



publicado por Luso-brasileiro às 11:17
link do post | comentar | favorito

mais sobre mim
arquivos

Novembro 2020

Outubro 2020

Setembro 2020

Agosto 2020

Julho 2020

Junho 2020

Maio 2020

Abril 2020

Março 2020

Fevereiro 2020

Janeiro 2020

Dezembro 2019

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

pesquisar
 
links