PAZ - Blogue luso-brasileiro
Sábado, 21 de Janeiro de 2017
JOÃO CARLOS JOSÉ MARTINELLI - POETA é TAMBÉM AQUELE QUE SENTE A POESIA

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Há muito tempo que curto um hábito saudável: levanto e após minhas orações, leio uma poesia de boa qualidade que escolho entre as muitas existentes, quer seja de autores consagrados ou desconhecidos, quer de locais ou regionais.  A manhã acaba florescendo com tamanha aptidão de viver, que os dias quase sempre são extremamente maravilhosos.  Nesse momento, lembro-me de Clarice Lispector que afirmava “a palavra é meu domínio sobre o mundo”. Com efeito, através dela, não só flutuo sobre a criação alheia, como compartilho minhas, em redes sociais, o que propicia muitas vezes um encontro de sentimentos, dores, alegrias, tristezas, saudades e tantas outras circunstâncias que fomentam nossa subjetividade.

         É por isso que adoro escrever e ler, e como na maioria das vezes minha inspiração não se concretiza em versos, aproprio-me da ode terceiros, repleta de coisas delicadas, com ritmo e harmonia típicos dos poetas que imortalizam tudo o que há de melhor e de mais belo no mundo;  românticos que se revelam aos outros, sem receio de serem incompreendidos em seus sonhos, aspirações, desejos e principalmente, emoções.

         Nesse aspecto, invoco a singeleza de Cora Coralina: “Poeta, não é somente o que escreve. É aquele que sente a poesia, se extasia sensível ao achado de uma rima à autenticidade de um verso”. Todos os que admiram esse gênero literário, com certeza, exercitam suas almas aproximando do próprio íntimo, sem pudores com o materialismo. Extravasam o espírito, sem se consumirem integralmente. Renovam-se a diferentes leituras na incessante procura de uma vida melhor.

         Celebra-se a 14 de março  o Dia Nacional da Poesia no Brasil, em  homenagem a Antônio Frederico de Castro Alves, nascido nessa data  1847e que se consagrou como o poeta dos escravos por ter lutado e defendido arduamente a abolição da escravatura no Brasil. Um ótimo momento para homenagearmos todos que se dedicam a essa deslumbrante forma de arte transmitida pela escrita na qual revelam suas  interioridades e pensamentos, com o poder de modificar a realidade, segundo as próprias percepções, aliando  beleza e  encanto, com a supremacia das concepções criativas.

Que Deus abençoe os poetas e os ajudem a permanecer difundindo seus trabalhos, fazendo da poesia uma das expressões artísticas mais populares em que permeada por seu lirismo característico, enriquece sobremaneira a profícua literatura brasileira. Numa reverência a comemoração de ontem, invocamos “Soneto da Separação” de Vinicius de Moraes: “De repente do riso fez-se o pranto/ Silencioso e branco como a bruma/ E das bocas unidas fez-se a espuma/ E das mãos espalmadas fez-se o espanto.// De repente da calma fez-se o vento/ Que dos olhos desfez a última chama/ E da paixão fez-se o pressentimento/ E do momento imóvel fez-se o drama.// De repente, não mais que de repente/ Fez-se de triste o que se fez amante/ E de sozinho o que se fez contente.// Fez-se do amigo próximo o distante/ Fez-se da vida uma aventura errante/ De repente, não mais que de repente”.

 

 

 

JOÃO CARLOS JOSÉ MARTINELLI é  advogado, jornalista, escritor e professor universitário. É presidente da Academia Jundiaiense de Letras (martinelliadv@hotmail.com).

 

 



publicado por Luso-brasileiro às 18:56
link do post | comentar | favorito

mais sobre mim
arquivos

Janeiro 2022

Dezembro 2021

Novembro 2021

Outubro 2021

Setembro 2021

Julho 2021

Junho 2021

Maio 2021

Abril 2021

Março 2021

Fevereiro 2021

Janeiro 2021

Dezembro 2020

Novembro 2020

Outubro 2020

Setembro 2020

Agosto 2020

Julho 2020

Junho 2020

Maio 2020

Abril 2020

Março 2020

Fevereiro 2020

Janeiro 2020

Dezembro 2019

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

pesquisar
 
links