PAZ - Blogue luso-brasileiro
Segunda-feira, 23 de Fevereiro de 2015
JOSÉ RENATO NALINI - ATESTADO DE IRRACIONALIDADE

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Tenho dúvidas sobre a pretensa racionalidade da espécie. Talvez por haver judicado por quase quarenta anos, além dos quatro no Ministério Público. A jurisdição da família é desgastante. Ali se vê a mesquinhez que nem sempre se encontra na esfera criminal. Infrações penais chegam a ser eticamente menos chocantes do que a volúpia com que ex-cônjuges se agridem, para isso se servindo de uma arma poderosa – o filho – ou do egoísmo com que se comportam os herdeiros.

Não estou falando apenas no Brasil, esta República judicial, onde tudo vira processo e aprofunda as divergências. A irracionalidade parece habitar a mente humana. Até em reinos de civilização milenar ela acomete pessoas insuspeitas. Por exemplo: em Londres, Sir Roy Strong, antigo diretor da National Portrait Gallery e do respeitadíssimo Victoria and Albert Museum, formou durante toda a sua vida um belo jardim.

Belo é pouco: um jardim magnífico. Proeza paisagística preparada carinhosamente durante décadas. A mulher partiu para a eternidade e Sir Roy percebeu que a hora dele também estava próxima. Com a generosa mentalidade britânica, fez um testamento para legar o jardim ao National Trust, instituição responsável pela preservação do patrimônio inglês. Mas ainda destinou importância suficiente para que ele fosse preservado e merecesse natural continuidade.

Surpresa: o National Trust recusou a oferta. Não viu valor preservável no jardim. Então Sir Roy mudou o testamento. Deixou instruções precisas para que o jardim, logo que ele morra, seja destruído. Agora sim, os ingleses se chocaram. Condenam o vandalismo “post-mortem” de Sir Roy. Mas não condenaram a insensibilidade dos burocratas do National Trust que nada viram no jardim que ensejasse a sua conservação.

Thomas Hobbes tinha razão. O homem é o lobo do homem. A vida sem disciplina e autoridade é a guerra de todos contra todos. Onde está a natural benevolência proclamada por Rousseau? Ele que deixou seus cinco filhos na “roda” dos enjeitados, escreveu a ficção da bondade ínsita ao ser humano. Ou estou sendo muito pessimista?

Sugiro aos otimistas que façam estágio nas Varas da Família e Sucessões e se enterneçam com os exemplos prolíficos do desprendimento, da generosidade e da solidariedade entre herdeiros – quase sempre o mesmo sangue – ou entre parceiros que se escolheram para uma vida em comum, “até que a morte os separe”.

 

 

 

JOSÉ RENATO NALINI é presidente do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo para o biênio 2014/2015. E-mail: jrenatonalini@uol.com.br.



publicado por Luso-brasileiro às 10:46
link do post | comentar | favorito

mais sobre mim
arquivos

Novembro 2020

Outubro 2020

Setembro 2020

Agosto 2020

Julho 2020

Junho 2020

Maio 2020

Abril 2020

Março 2020

Fevereiro 2020

Janeiro 2020

Dezembro 2019

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

pesquisar
 
links