PAZ - Blogue luso-brasileiro
Domingo, 26 de Março de 2017
JOSÉ RENATO NALINI - GERAÇÃO DE PROSUMIDORES

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Resultado de imagem para José Renato Nalini

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Na presente fase de pessimismo e de visão ca­tastrófica do futuro, é interessante ler livros como “So­ciedade com Custo Marginal Zero”, de Jeremy Rifkin, publicado pela editora M.Books. Ele é um professor da Universidade da Pensilvânia, onde ensina execu­tivos a tornarem suas empresas sustentáveis, projeto da Escola de Negócios Wharton. Observa que o dina­mismo e a eficiência produtiva, alvo de todos os em­presários, tangidos pela onda empreendedorista, além da rápida mutação tecnológica, farão com que o capi­talismo perca sua dominância e ceda espaço para uma economia solidária, colaborativa e compartilhada.

O avanço da ciência e da tecnologia acelera o ritmo de produção e faz com que o custo marginal, o preço para produzir uma unidade a mais de um determinado produto, chegue bem próximo a zero. Amplia-se o acesso a todos os bens de consumo. Por consequência, os lucros das corporações se reduzem, a ideia de propriedade abandona o seu caráter abso­luto – o que já ocorre com a implementação da ideia de “função social” – e a economia da escassez é subs­tituída pela abundância.

Na visão idílica de Jeremy Rifkin, o ser huma­no passará, naturalmente, a compartilhar seus bens, a desfrutar de produtos e de serviços independentemen­te da necessidade de comprá-los.

Hoje a concepção capitalista prestigia o inte­resse próprio, é motivada pelo ganho material, pelo egoísmo e pelo exacerbado individualismo narcisista. Passar-se-á a vivenciar uma era de fruição de bens co­muns sociais, motivados por interesses colaborativos e impulsionados por um profundo desejo de se conec­tar com os outros, de dialogar e de compartilhar.

Para o autor, sinais dessa mutação tornam-se perceptíveis quando a volúpia do automóvel, ícone do consumismo e símbolo da propriedade privada, perde força perante uma geração que já não se entusiasma com a posse exclusiva do automotor. Além do com­partilhamento, animam-se os jovens com a ideia de fruir de carros autônomos, aqueles que não precisam de condutor. Eles atendem a uma outra tendência con­temporânea, ao menos perante os mais sensíveis: a tu­tela responsável do ambiente.

Assim também, casas, roupas, objetos, poderão ser compartilhados, na visão consciente de que “do mundo nada se leva’ e que a sabença popular eterni­zou no dístico “caixão de defunto não tem gaveta”.

A facilidade de acesso a bens da vida que se­rão cada vez mais baratos e mais disponíveis torna­rá os jovens libertos das amarras materiais. Em lugar da acumulação de bens, do enriquecimento pessoal, o mais cobiçado será o prazer de cultivar interesses colaborativos. Em lugar de “ter”, tornar concreto o so­nho de uma qualidade de vida sustentável.

Tudo isso afetará, é natural, o mercado de traba­lho. O mundo já está diferente e ficará ainda melhor. Os desafios são imensos. Basta dizer que mais da me­tade das profissões ainda indicadas como o futuro das crianças de hoje deixará de existir dentro de duas dé­cadas. A educação tem o compromisso aparentemente utópico de formar profissionais para misteres que se­quer têm denominação.

Mas a internet das coisas, que propicia a conec­tividade entre objetos e pessoas, facilitando as tare­fas e rotinas, o big data e o infinito acervo de dados e suas potencialidades, os algoritmos, a inteligência artificial, cada vez mais surpreendente, a robótica, a cibernética, vão eliminar postos de trabalho, mas vão permitir o desenvolvimento da sensibilidade. Tempo e espaço para as artes, para a poesia, para o cultivo da natureza, para oferecer talento para a beleza.

A impressora 3 D converterá o hoje consumidor em “prosumidor”. Ou seja, será ao mesmo tempo um produtor e um consumidor. Fará aquilo que desejar, desde uma caneta a um móvel, uma obra de arte e um chocolate, uma prótese e uma colher.

Há, portanto, quem acredite que Rousseau tinha razão e que a índole humana é direcionada à bondade. Que estejam certos e que Hobbes tenha se equivocado ao edificar o seu “Leviatã”.

 

Fonte: "Correio Popular de Campinas",  Data: 24/03/2017

 

 

JOSÉ RENATO NALINI é secretário da Educação do Estado de São Paulo. E-mail: imprensanalini@gmail.com.

 



publicado por Luso-brasileiro às 16:34
link do post | favorito (1)

Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres




mais sobre mim
arquivos

Dezembro 2020

Novembro 2020

Outubro 2020

Setembro 2020

Agosto 2020

Julho 2020

Junho 2020

Maio 2020

Abril 2020

Março 2020

Fevereiro 2020

Janeiro 2020

Dezembro 2019

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

pesquisar
 
links