PAZ - Blogue luso-brasileiro
Sábado, 7 de Julho de 2018
MARIA CRISTINA CASTILHO DE ANDRADE - VIVÊNCIAS DE ESPIRITUALIDADE

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

2vl2knt.jpg

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 
Tenho refletido sobre como expor as vivências de espiritualidade, desde que recebi o convite para participar da Semana Catequética da Paróquia Santa Teresinha. É um tema sobre o qual jamais falei.
Em relação ao desenvolvimento da espiritualidade, há muitos caminhos, contudo o que mais me chama a atenção é o dos carmelitas descalços. 
Leio, há quase dois anos, o livro “Quero ver a DEUS” do beato francês Maria-Eugênio do Menino Jesus, OCD. Leio de trecho em trecho pela profundidade. É uma abordagem a respeito das moradas da alma sobre a qual escreveu e experimentou Santa Teresa D’Ávila. Ele comenta com clareza sobre o passar pela noite, que se compõe de três partes: crepúsculo, noite fechada e aurora. 
O crepúsculo é o ponto de partida, com a renúncia às tendências, aos instintos que desfiguram a imagem de Deus na pessoa. As tendências desregradas mancham a alma. Encontramos no Livro do Eclesiástico (13, 1): “Quem tocar o piche, ficará manchado dele”. Na noite escura é o momento da fé para o entendimento e na aurora se diz sim a Deus que é luz. 
Leio, releio, reflito, mas sempre no enfoque maior de me melhorar para Deus. Aliás, não faz muito que compreendi que o importante é me melhorar para Deus e não para mim mesma. Para mim, atraio aplausos, desperto a soberba e para Deus cumpro minha vocação de filha do Céu, como todas as criaturas dEle. É o procurar ser humanidade de acréscimo, conforme disse Santa Elisabeth da Trindade, monja do Carmelo de Dijon (1880-1906).
Algumas coisas, sobre as quais li para me preparar, ao retornarem me chamam mais fortemente. É o Deus Amor sempre em ação. Escreve o Beato em seu livro: “Ao sopro do Espírito”: “O amor é difusor do bem: Deus é bom, Deus é amor, e este amor nEle cria um movimento. (...) Deus é força de expansão, poder de expansão”. 
Como Deus me encanta! Como Deus me agrada! Como Deus dá sentido à minha vida!

 

 

 

 

 

MARIA CRISTINA CASTILHO DE ANDRADE -

 Professora e cronista. Coordenadora diocesana da Pastoral da Mulher – Santa Maria Madalena/ Magdala. Jundiaí, Brasil.


 



publicado por Luso-brasileiro às 18:33
link do post | comentar | favorito

mais sobre mim
arquivos

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

pesquisar
 
links