PAZ - Blogue luso-brasileiro
Segunda-feira, 25 de Janeiro de 2016
MARIA CRISTINA CASTILHO DE ANDRADE - PELO OLHAR

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Estivemos, neste mês, no Santuário Nacional de Nossa Senhora da Conceição Aparecida. Gostamos de estar lá, agradecendo e pedindo a bênção à Mãe de Jesus.
Na basílica e em seu entorno, há muitos sinais além da construção e de seus ícones, dentre eles o de um povo, muitas vezes judiado, que se deixa guiar pela fé e entende de Eternidade. Observei a leveza e o sorriso de pessoas com limites físicos e mentais e de idosos, sem pressa, em alerta e à espera, como Simeão e Ana, conforme narra São Lucas (2, 25-38), da consolação, da salvação, da luz que cura a descrença no hoje e no amanhã.
Na visita deste ano, me parece que as pessoas, especialmente as com necessidades especiais, que lá se encontravam, tocaram-me mais forte e se fizeram claridade no coração.
No banco da frente, uma moça de trajes simples, na faixa de trinta anos. Via-se, através da blusa, nas costas, a tatuagem: “Meu anjo, minha vida” e o nome do filho que a acompanhava. Menino de 11 ou 12 anos, com algum problema sério de saúde, cabelos ralos, um terço azul no pescoço. Sentados e atentos o tempo inteiro. Ele com a cabeça no ombro dela e ela, de pouco em pouco, encostava a cabeça na dele. Era um amor tão grande! Amor que sara dificuldades e investe em esperança. Amor que não se detém nas perspectivas humanas, mas decifra acenos do Alto. Senti-me minúscula diante da grandeza daquela mulher com quem não tive oportunidade de conversar, de quem não sei o nome e muito menos de onde veio. A serenidade e a silhueta dela que protegiam o filho falavam muito mais forte do que qualquer explicação e revelavam que estava ali em perfeita sintonia com a Senhora Aparecida, do “sim” que nos trouxe o Bom Pastor, que protege e dá sentido a todos os acontecimentos.
Enquanto a contemplava, também mexia comigo o cântico do ato penitencial: “Quantas Vezes” (J. Thomaz Filho – Ir. Miria T. Kolling): “Quantas vezes olhei com desdém as sementes, dezenas, centenas. Quão inútil parece Teu reino, se descuido das coisas pequenas. (...) Quantas vezes passei por aqui, sem notar o tesouro que havia. Quão distante parece Teu reino, se descanso esperando meu dia. Senhor, Senhor, por nossa voz, tende piedade, olhai por nós”.
Trouxe em minhas entranhas, a partir da mãe com seu filho enfermo, o olhar da Senhora Aparecida para os peregrinos que compreendem a linguagem do Céu.

 

 

 

MARIA CRISTINA CASTILHO DE ANDRADE   -    Professora e cronista. Coordenadora diocesana da Pastoral da Mulher – Santa Maria Madalena/ Magdala. Jundiaí, Brasil.

 

 

 



publicado por Luso-brasileiro às 10:42
link do post | comentar | favorito

mais sobre mim
arquivos

Maio 2021

Abril 2021

Março 2021

Fevereiro 2021

Janeiro 2021

Dezembro 2020

Novembro 2020

Outubro 2020

Setembro 2020

Agosto 2020

Julho 2020

Junho 2020

Maio 2020

Abril 2020

Março 2020

Fevereiro 2020

Janeiro 2020

Dezembro 2019

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

pesquisar
 
links