PAZ - Blogue luso-brasileiro
Quinta-feira, 30 de Abril de 2020
PAULO R. LABEGALINI - AS DUAS VIZINHAS

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Paulo Labegalini.jpg

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Duas vizinhas viviam em pé de guerra e não podiam se encontrar que era briga certa. Um dia, dona Jacira resolveu provocar ainda mais a ‘inimiga’ e mandou-lhe esterco de vaca como presente – para ver a reação da outra.

Assim que dona Clotilde abriu o embrulho, sentiu que a situação estava se tornando insuportável e passou a rezar pedindo paz entre elas. À noite, sonhou que foi visitar o inferno e viu todas as pessoas passando muita fome. Lá, os garfos eram enormes, os braços dos pecadores não se dobravam nos cotovelos e, como era regra comer pegando na ponta do garfo, ninguém conseguia levar a comida à boca.

No dia seguinte, dona Clotilde sonhou que foi visitar o céu e, lá, também os cotovelos não eram articulados, os garfos eram grandes, a regra para se alimentar era a mesma, mas todos estavam felizes e bem gordinhos. Quando perguntou a um anjo como era possível aquilo estar acontecendo, ouviu a resposta: ‘No inferno, eles não se perdoam e continuam passando fome. Aqui, ninguém guarda ressentimentos e um alimenta o outro – levando a comida do garfo até a boca do mais próximo.’

Algum tempo depois, dona Jacira recebeu uma linda cesta de flores e um bilhete de sua vizinha: “Querida, cultivei-as com o esterco que você me presenteou, aliás, um excelente adubo que serviu para reatarmos a amizade. Comprei uns garfos especiais e gostaria que você almoçasse comigo amanhã. Com carinho, Clotilde.”

Foi assim que elas aprenderam que cada um dá ao próximo aquilo que tem em abundância dentro de si. Resolveram, então, cultivar a paz para viverem em paz e, como a felicidade completa só existe nos corações de pessoas de fé, cada vez mais a oração passou a fazer parte de suas vidas.

Eu acredito que muito mais do que uma bela história, este relato serve para nos ajudar a refletir na importância do perdão nos dias de hoje. Primeiro, porque se não perdoamos não somos por Deus perdoados e não seremos salvos. Segundo, porque as consequências da falta de perdão são todas ruins à nossa saúde. Terceiro, porque quem não perdoa não é digno de professar a fé cristã e deixa de alcançar muitas graças para a família.

Eu já fui uma pessoa que rangia os dentes quando me lembrava de alguns desafetos, mas, com sinceridade, hoje isso não acontece mais. Há anos que rezo, pedindo a Jesus que faça o meu coração manso e humilde semelhante ao Dele e, com a ajuda de Nossa Senhora da Agonia, a cada dia vou melhorando um pouquinho mais.

Citei a ajuda de minha Mãezinha porque Ela me acompanha sempre e foi por seu intermédio que descobri a minha missão na igreja católica. Convivendo com pessoas que a amam com fervor, aprendi o verdadeiro espírito cristão que nos aproxima de Deus e, analisando a vida da Virgem Maria, concluí que não há limites para servir e obedecer o seu Filho Santo.

Contudo, sabemos que as graças não chegam de graça. Só as continuam recebendo em abundância aqueles que se perdoam e vivem em comunidade. É um exercício para a santidade que se completa na missão que abraçamos na igreja católica. Se Jesus Cristo perdoou até aqueles que o traíram, quem somos nós para guardarmos rancores uns dos outros?

Voltando à história das duas vizinhas, podemos tirar mais uma lição a respeito do perdão: ‘Quem quer amar como Jesus amou e quer ser protegido por Maria Santíssima, deve evangelizar e perdoar sempre. Só assim poderá chegar ao céu.’

Então, perdoe e evangelize você também, porque, com certeza, não se arrependerá.

 

 

 

PAULO ROBERTO LABEGALINI - Escritor católico. Vicentino de Itajubá - Minas Gerais - Brasil. Professor Doutor do Instituto Federal Sul de Minas - Pouso Alegre.‘Autor do livro ‘Mensagens Infantis Educativas’ – Editora Cleofas.



publicado por Luso-brasileiro às 11:59
link do post | favorito

Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres




mais sobre mim
arquivos

Dezembro 2020

Novembro 2020

Outubro 2020

Setembro 2020

Agosto 2020

Julho 2020

Junho 2020

Maio 2020

Abril 2020

Março 2020

Fevereiro 2020

Janeiro 2020

Dezembro 2019

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

pesquisar
 
links