PAZ - Blogue luso-brasileiro
Sábado, 25 de Fevereiro de 2017
PAULO R. LABEGALINI - COISAS QUE SEMPRE EXISTIRÃO

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Paulo Labegalini.jpg

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Um dia, na festa de 90 anos da ‘Revista Adoremos’ em Belo Horizonte, recebi um prêmio por esta redação:

 

“Adorar a Deus é amar profundamente a Trindade Santa – mistério que só a fé explica. E esse sentimento de humildade se concretiza no coração humano quando ele se abre aos ensinamentos da verdade, da caridade e da justiça. Portanto, todo veículo de comunicação que difunde estes princípios, nos conduz a prestar um culto sincero a Deus.

Por isso, a Revista Adoremos tem cumprido o seu papel durante os últimos noventa anos! Como toda criança, começou engatinhando no início do século XX, caminhou com dificuldades por algum tempo, teve ajuda de muitos quando mais precisou e, principalmente, contou com as bênçãos do Céu todos os dias.

Hoje, as folhas são de melhor qualidade, a capa ganhou cor e muitas ilustrações, fotos, mas a mensagem é a mesma de sempre: ‘amai-vos uns aos outros’. Como há muitas maneiras de dizer isto, os textos não se repetem e os talentos dos articulistas se renovam ano a ano.

Foram centenas de destaques a datas importantes, reflexões, notícias, ensinamentos para o crescimento da nossa espiritualidade cristã, além de humor, histórias de santos e culinária. Isto tudo, bem temperado com amor à evangelização, continua presente na revista vicentina que sai de Minas para os quatro cantos do Brasil.

E São Vicente? Esteve em todas as edições! E Nossa Senhora? Também nunca faltou! E Ozanam? Sua vida foi passada a limpo por muita gente também! Enfim, Louvado Seja Nosso Senhor Jesus Cristo que impulsionou tantos corações a se unirem em favor dos pobres!

Amar é bom, realizar obras santas é ótimo e ser assinante da Revista Adoremos é fazer um bom uso da sabedoria que Deus nos deu. Bravo! Parabéns a todos nós!”

 

Ah, um outro fato que enviei à revista foi este:

O Pe. Marcelo Rossi contou que estranhou o comportamento de um senhor durante a missa que celebrou no Santuário do Terço Bizantino, em São Paulo. Assim que terminou a celebração, foi conversar com ele:

– Desculpe-me, mas tenho visto sua esposa erguendo os braços e louvando a Deus toda semana e o senhor sempre ficou de braços cruzados; hoje, porém, também acenou com ela e se manteve alegre! O que aconteceu?

– Bem, padre, há poucos dias fui surpreendido por bandidos no banco em que trabalho e fiquei de braços levantados por muito tempo enquanto uma arma permaneceu apontada em minha direção. Então, percebi que é muito melhor erguer os braços louvando do que qualquer outra coisa.

Pois é, quando criança, somos imaturos demais para pensar em Deus; quando jovens, somos autossuficientes e não precisamos Dele! Recém-casados, somos felizes ao extremo... Trabalhando, estamos sempre muito ocupados... Idosos, sempre meio cansados... E quando morremos? Bem, aí já é tarde demais para agradecer e pedir perdão, não? Ainda bem que eu percebi isso a tempo; e você?

Quem lê artigos católicos sabe que o dom maior da caridade é semelhante ao amor de Deus por nós: infinito e sem limites. Deus faz nascer o sol tanto para os maus quanto para os bons, e faz chover sobre os justos e sobre os injustos! Portanto, a caridade se estende também aos inimigos, porque cada ser humano dever ser para mim uma imagem do Salvador, que disse: “Amai-vos uns aos outros como eu vos amei” (Jo 15, 12).

Praticar um amor-serviço ao próximo é acreditar que a caridade jamais acabará e, para amarmos assim, temos necessidade de recebermos o Espírito Santo – que distribui para nós o dom do amor, da bondade, da alegria, da mansidão e da paz. Ele nos torna irmãos de todo homem e nos faz viver em comunidade ao redor da Eucaristia.

No dia-a-dia, podemos ser caridosos em família através da tolerância e do perdão. Se Deus nos deu uma vida em comum com outras pessoas e aceitamos livremente conviver juntos, como podemos justificar a ausência de amor em nosso lar? O Pai nos amou primeiro, enviou seu Filho único para expiar nossos pecados, continua tendo uma imensa misericórdia por cada um de nós... e a nossa resposta a tudo isso: é gratidão ou ingratidão?

Veja o que disse São Paulo (I Cor 13), indicando o caminho mais excelente de todos:

“Mesmo que eu tivesse o dom da profecia, e conhecesse todos os mistérios e toda a ciência; mesmo que tivesse toda a fé, a ponto de transportar montanhas, se não tiver caridade, não sou nada. Ainda que distribuísse todos os meus bens em sustento aos pobres, e ainda que entregasse o meu corpo para ser queimado, se não tiver caridade, de nada valeria!

A caridade é paciente, é bondosa, não tem inveja, não é orgulhosa, não é arrogante, nem escandalosa, não busca os seus próprios interesses, não se irrita, não guarda rancor, não se alegra com a injustiça, mas se rejubila com a verdade. Tudo desculpa, tudo crê, tudo espera, tudo suporta e jamais acabará... Por ora subsistem a fé, a esperança e a caridade, porém, a maior delas é a caridade.”

O amor, o louvor e bons artigos católicos, jamais deixarão de existir.

 

 

 

 

PAULO ROBERTO LABEGALINI - Escritor católico. Vicentino de Itajubá - Minas Gerais - Brasil. Professor doutor do Instituto Federal Sul de Minas - Pouso Alegre.‘Autor do livro ‘Mensagens Infantis Educativas’ – Editora Cleofas

 



publicado por Luso-brasileiro às 21:05
link do post | comentar | favorito

mais sobre mim
arquivos

Novembro 2020

Outubro 2020

Setembro 2020

Agosto 2020

Julho 2020

Junho 2020

Maio 2020

Abril 2020

Março 2020

Fevereiro 2020

Janeiro 2020

Dezembro 2019

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

pesquisar
 
links