PAZ - Blogue luso-brasileiro
Domingo, 24 de Janeiro de 2016
PAULO R. LABEGALINI - QUAL SEU MAIOR FRACASSO ?

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Certa vez, no programa ‘Prazer em Conhecê-lo’ da Rede Vida, Idalina de Oliveira perguntou à entrevistada: “Qual o seu maior fracasso?”. Ela pensou, pensou, e disse não se lembrar. Acredito que refletiu em fracassos profissionais, já que é uma jornalista de sucesso; mas, e os pecados de cada dia, não são fracassos pessoais?

Nesse sentido, todos nós já fracassamos, e muito! Quem discordar, é porque não se arrepende de ter ofendido a Deus e, nesse caso, ainda não foi perdoado. Mesmo aquele que só cometeu pecadinhos, deve haver algo um pouco mais grave que justifique um tipo de fracasso.

Entendo que contar pecados na TV é muito constrangedor e eu também pensaria bastante antes de abrir o coração em rede nacional; porém, no cursilho, o fazemos com naturalidade. Levados pela emoção e verdade, mostramos o quanto nos afastamos de Deus a cada tropeço na fé. E não há quem discorde: é impossível chegar ao Céu sem praticar os ensinamentos de Cristo.

Tenho um amigo que contesta a vida que levo. Segundo ele, basta rezar um pouco em casa, não prejudicar ninguém e gozar a vida. É claro que cada caso é um caso e a Misericórdia Divina é infinita, mas, considerando tudo quanto recebemos gratuitamente de Deus, concluo que temos muitas obrigações para com Ele – sempre!

Se dependesse de tempo sobrando, eu nem entraria na igreja! Se dependesse de oportunidades para diversões e passeios, eu nem estaria escrevendo este artigo. Se dependesse de períodos de cansaço, não atenderia alguns chamados do Pai. Portanto, ou é prioridade cumprir a nossa missão de cristão, ou corremos um sério risco de um grande fracasso após a morte!

Todos ouviram que Deus nos ajuda e nos perdoa enquanto vivos, e nos julga quando morremos. Quem tem fé e não duvida disso, com racionalidade cumpre os Mandamentos entregues a Moisés; porém, como cada um se salva por opção própria, precisamos rezar por aqueles que condenam a alma, mal usufruindo a liberdade que têm. Se priorizarmos levar Jesus no coração, tempo para as obras do Reino não faltará e nenhum outro grande fracasso virá!

Mas, e se um sonho de ‘ser rei’ fracassou, por onde recomeçar? Recebi este texto de um amigo; reflita nos seus ensinamentos:

“Certo homem, após uma longa e exaustiva caminhada, parou para descansar. Ao se deitar, fechou os olhos e num instante dormiu. Enquanto dormia um sono profundo, teve a oportunidade de fazer a retrospectiva do momento da sua concepção até os dias atuais. Em seu sonho, pôs a pensar cada etapa e instante vivido de maneira muito clara. Tudo lhe vinha à mente como num filme da melhor qualidade. Foi então que começou a perguntar sobre o seu desejo de ser rei: ‘O que foi que fiz até hoje? Quais foram minhas realizações? Onde foi que errei?’.

Após estes questionamentos, as respostas começaram a surgir naturalmente:

Você fez muitas coisas, mas não as fez uma de cada vez, quis fazer tudo ao mesmo tempo como se cada coisa não precisasse tempo e exclusividade. Suas ações têm méritos e não podem ser descartadas. Apesar das atribulações, você não foi de todo um instrumento sem valor. Mas, com tudo isso, acabou perdendo o seu desejo e o sonho de ser rei, porque, para ser rei, algumas coisas são imprescindíveis.

Em primeiro lugar, é preciso saber escutar os outros e você não tinha tempo. Lembra quando aquele amigo que você dizia gostar tanto o procurou para desabafar a vida e você disse que precisava terminar uma tarefa e depois o procuraria? Isto não aconteceu! Vou lhe dar mais um exemplo para ver que o seu tempo era escasso:

Certa vez, seu filho pequeno perguntou:

– Papai, quanto é que o senhor ganha na empresa onde trabalha?

E você meio que apressado respondeu. Passados dez dias, seu filho falou:

– Papai, hoje o senhor pode sair uma hora mais cedo do trabalho! Eu juntei os jornais, ferro velho, garrafas de plástico que estavam lá na garagem, consegui vender e arrumei R$ 18,50, o preço de uma hora extra do seu trabalho. Este é o tempo que preciso para poder dizer que cresci. Eu lhe amo muito e quero lhe dar um abraço porque não consigo lembrar quando foi a última vez que nos abraçamos, e eu sinto tanta falta disso!

E o homem refletiu: ‘Mas, onde foi que errei?’.

Às vezes, queremos ganhar o mundo e perdemos a vida. Talvez não tenha observado à sua volta. À nossa volta, existem pessoas que precisam de nós e que não podem esperar. Ser rei é ir além, é sair de si, é morrer para si mesmo, é viver para o outro. Pode parecer estranho tudo isso, mas têm coisas que só vivendo é que se pode entender.

Erramos quando acreditamos somente em nossa força, não damos ouvido aos outros, não perdoamos, não amamos e não nos amamos! Erramos mais ainda quando não acreditamos que, para ser rei de verdade, os palácios são dispensados, basta ter um grande coração e ser sonhador.

E o tempo? O tempo se encarrega de arrumar tempo quando for necessário ter tempo. Para ser rei não é preciso ter tempo, basta ‘ser humano’ somente. Como dizia Santa Terezinha do Menino Jesus: Tudo é Graça!”

 

 

PAULO ROBERTO LABEGALINI - Escritor católico. Vicentino de Itajubá - Minas Gerais - Brasil. Professor doutor do Instituto Federal Sul de Minas - Pouso Alegre.‘Autor do livro ‘Mensagens Infantis Educativas’ – Editora Cleofas.



publicado por Luso-brasileiro às 19:12
link do post | favorito

Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres




mais sobre mim
arquivos

Maio 2021

Abril 2021

Março 2021

Fevereiro 2021

Janeiro 2021

Dezembro 2020

Novembro 2020

Outubro 2020

Setembro 2020

Agosto 2020

Julho 2020

Junho 2020

Maio 2020

Abril 2020

Março 2020

Fevereiro 2020

Janeiro 2020

Dezembro 2019

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

pesquisar
 
links