PAZ - Blogue luso-brasileiro
Quarta-feira, 30 de Outubro de 2019
PAULO R. LABEGALINI - REFLEXÃO SOBRE O NOSSO PLANETA

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Um dia li e anotei isto: se fosse possível reduzir a população do mundo inteiro em uma vila de 100 pessoas, mantendo a proporção do povo existente hoje no mundo, tal vila seria composta mais ou menos assim: 57 asiáticos, 21 europeus, 14 americanos e 8 africanos; 52 seriam mulheres e 48 seriam homens; 30 seriam brancos; apenas 30 seriam cristãos; 11 seriam homossexuais; e 6 pessoas possuiriam 59% da riqueza existente.

Em consequência da má distribuição da renda, 80 viveriam em casas inabitáveis, 70 seriam analfabetos, 50 sofreriam de desnutrição, 1 estaria para morrer e apenas 1 teria formação universitária.

Assim é o planeta em que vivemos e que continua excluindo cada vez mais gente da possibilidade de sobreviver com dignidade. E as coisas não melhoram principalmente porque cada um de nós acredita que não é o culpado disso tudo e também que não pode fazer nada para mudar as coisas. Se São Vicente de Paulo, Santa Teresa de Calcutá, Santa Madre Paulina e tantos outros praticantes da caridade cristã pensassem assim, o que teria sido de milhares de pessoas assistidas por eles?

Graças a Deus que eu tenho o privilégio de poder estar escrevendo este artigo agora e que você, leitor(a), pode me ajudar a melhorar a situação descrita. Quem ler estas linhas, com certeza, é uma das pessoas mais abençoadas do mundo e tem a obrigação de ajudar o próximo.

Aqui mesmo, em Itajubá, quantos se dirigem à Vila Vicentina da Igreja Nossa Senhora Aparecida, ou à APAE, ou à Casa da Criança, ou ao Asilo dos Velhos, ou às creches, ou à Ação Social da Prefeitura, perguntando se precisam de um pouco de comida ou de braços para trabalhar? Infelizmente poucos!

Saiba que se você pode ir a lugares assim sem medo de bombardeios ou de ser preso, você tem mais ‘sorte’ do que 30 milhões de pessoas no mundo. E se você tem comida na geladeira, roupa no armário, um teto sobre a sua cabeça e um lugar para dormir, considere-se ‘melhor’ do que 75% dos habitantes da Terra.

Agora, se tiver dinheiro no banco ou na carteira, assim como eu, você está entre 8% das pessoas com a melhor qualidade de vida do mundo! E só por estar lendo esta mensagem, você recebeu uma tripla benção: há alguém querendo lhe ajudar; você não está entre milhões de pessoas que não sabem ler; e teve acesso a um meio de comunicação de qualidade.

Pense nisso com carinho e procure se orientar melhor sobre o que Deus quer de você. Abra a Bíblia, leia alguns capítulos dos Evangelhos e terá as respostas que sempre procurou para ganhar o Céu. Acostume-se a ouvir o que vem do alto, assim como este índio da história se acostumou naquilo que lhe era mais importante.

Conta-se que um caçador levou um indígena para passear no centro de São Paulo. Seus olhos brilharam com a altura dos edifícios e ele mal conseguia acompanhar o ritmo frenético dos pedestres. Espantava-se com o barulho ensurdecedor dos automóveis e das pessoas falando em voz alta.

De repente, o índio falou: ‘Ouço um grilo.’ O amigo, espantado, retrucou: ‘Impossível ouvir um inseto tão pequeno nesta confusão!’ Mas, o índio insistiu que ouvia um grilo cantando e, tomando o seu cicerone pela mão, levou-o até um canteiro de plantas. Afastando as folhas, apontou para o inseto.

‘Como isso é possível?’, perguntou-lhe o caçador, ainda sem crer. O índio pediu-lhe algumas moedas e, então, jogou-as na calçada. Quando caíram, devido ao tilintar do metal, pessoas pararam e as apanharam.

Com esta história, fica fácil concluir que nós ouvimos o que estamos interessados ou acostumados a ouvir. Quem pouco vai à Igreja e não lê a Palavra de Deus, não ouve a Sua voz chamando a todo momento e pedindo que se esforce para modificar os corações maldosos da humanidade. E quem não se esforçar, também não poderá dizer que não é culpado pelo quadro vergonhoso de injustiça social relatado no início do artigo.

Na verdade, todos nós somos culpados, porque se eu tenho comida em abundância em casa, tenho a obrigação de repartir um pouco com aqueles que nada têm. E quem não souber como fazer a comida chegar na boca do pobre, procure um vicentino e peça que ele o faça. Aquele que nos pedir ajuda, será muito bem atendido porque esse é o trabalho dos vicentinos e o fazemos por amor a Jesus Cristo.

Sabemos que não somos santos, mas tentamos chegar à santidade abraçando a causa dos pobres – pecadores como nós – e, com a proteção de São Vicente e da Virgem Maria, seguiremos em frente na nossa missão. Mesmo sabendo que bastaria um pouco de vontade política para resolver o problema da pobreza em muitas cidades, procuramos fazer o trabalho de ‘formiguinha’, pois quem sofre precisa ser amparado.

Jesus Cristo disse que sempre teremos pobres entre nós, mas também falou que todo aquele que ajudar a um pequenino em Seu nome, é a Ele que estará ajudando.

E que bom que você ainda está vivo(a)! Então, faça a sua parte.

 

 

 

 

 

PAULO ROBERTO LABEGALINI - Escritor católico. Vicentino de Itajubá - Minas Gerais - Brasil. Professor Doutor do Instituto Federal Sul de Minas - Pouso Alegre. ‘Autor do livro ‘Mensagens Infantis Educativas’ – Editora Cleofas.



publicado por Luso-brasileiro às 13:27
link do post | comentar | favorito

mais sobre mim
arquivos

Novembro 2020

Outubro 2020

Setembro 2020

Agosto 2020

Julho 2020

Junho 2020

Maio 2020

Abril 2020

Março 2020

Fevereiro 2020

Janeiro 2020

Dezembro 2019

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

pesquisar
 
links