PAZ - Blogue luso-brasileiro
Segunda-feira, 24 de Novembro de 2014
PAULO ROBERTO LABEGALINI - O PLANO DE DEUS

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Sobre direitos humanos, o artigo I da ‘Declaração Universal’, diz assim: “ Todas as pessoas nascem livres e iguais em dignidade e direitos. São dotadas de razão e consciência, e devem agir em relação umas às outras com espírito de fraternidade”. E é razoável pensarmos que, se esses direitos não forem ‘automáticos’ em alguns grupos ou classes sociais, devem ser conquistados.

Sabemos que muitas políticas públicas visam consolidar os direitos de toda a população, quer sejam educacionais, econômicos, sociais ou políticos. Quando isso acontecer, esperamos que os conflitos não se resolvam mais pela violência; mas, se a liberdade, a igualdade e a fraternidade são defendidas por todos, por que ainda há tantas exclusões sociais no mundo?

Acredito que a liberdade e a igualdade avançaram muito nas conquistas de direitos humanos ultimamente, mas a fraternidade ainda padece. Tenho visto grupos religiosos defendendo e praticando a fraternidade, mas, fora disso, pouco se faz. O desafio de levar o pão e a Palavra de Deus às pessoas é privilégio da minoria na nossa sociedade.

A dignidade do ser humano deveria ser levada mais a sério e encarada, de fato, como a principal responsabilidade nas ações de cada cristão, porque, sem fraternidade – no sentido de amor ao próximo –, as portas do Céu poderão estar fechadas após a morte. Infelizmente, há pessoas que só pensam em aproveitar a vida e não se importam com seus destinos na eternidade. Assim como eu, penso que todos foram avisados de que a salvação da alma acontece aqui na Terra; depois, se tivermos pecados graves acumulados em vida, o castigo poderá ser cruel.

Mas, será que a condenação do ser humano está nos planos de Deus? Ele planejou: os astros não se chocarem, o coração humano bombear sangue para gerar vida; o morcego, mesmo cego, ser guiado por radar; a água circular na Terra de maneira perfeita; o ar atmosférico ser composto por vários gases, e cada um com sua função; a natureza, por si só, permanecer em harmonia; enfim, se Deus fez tudo com impressionante sabedoria, não iria querer que seus filhos se perdessem em pecados, concorda?

Ele poderia ter criado uma só flor, um só tipo de fruto, uma só estrela, um único som e apenas um animal. Já pensou como seria chato ver o mesmo passarinho cantando a mesma música em cima da mesma rosa enquanto comêssemos o mesmo abacate? E mais: sempre de dia, se a noite não existisse. Mas, graças à generosidade de Nosso Senhor, o homem pode desfrutar infinitas diversidades no mundo para o seu bem estar. Deus desenvolveu um Plano de Amor!

E com tudo que está ao nosso alcance, a felicidade pode ser conquistada a cada dia por diferentes caminhos. Na Bíblia, encontramos muitas experiências de salvação daqueles que confiaram na Família Divina: Pai, Filho e Espírito Santo. Entenderam que o Plano de Deus consiste em criar alguém em condições de receber a vida eterna. E Jesus Cristo testemunhou o quanto somos abençoados: “Eu vim para que todos tenham vida, e vida em abundância” (Jo 10,10).

Quando Deus libertou o povo hebreu da escravidão do Egito, concedeu libertação a toda a humanidade. Quando Jesus ofereceu o seu corpo e o seu sangue – mudando o sentido da Páscoa judaica –, resgatou nossa salvação por meio do amor-doação. Hoje, através dos sacramentos, nos tornamos herdeiros da graça do Pai – vivendo a Eucaristia, damos continuidade ao processo de libertação.

Porém, como eu disse, há aqueles que preferem romper com o Plano de Deus porque acreditam mais no poder da força do que na força do amor; procuram mais dinheiro do que o tesouro do Reino; preferem o status ao invés da solidariedade. São pobres de espírito por insistirem em não entender que a riqueza de poucos e a pobreza de muitos não faz parte da criação do Universo; bem como não são da vontade de Deus os vícios, as bombas, o aborto, o divórcio, as crianças e os velhos abandonados.

Então, o que o Criador quer de nós? Com certeza, deseja que sejamos todos irmãos e cuidemos melhor uns dos outros. Independente de classes sociais ou níveis intelectuais, temos que nos unir para um mundo melhor. Isso pode e deve começar em casa, na família.

No capítulo 6 do Evangelho de São Mateus, temos uma orientação de Jesus Cristo para a nossa vida espiritual: “Nas vossas orações, não sejais como os gentios, que usam de vãs repetições porque pensam que, por muito falarem, serão atendidos. Não façais como eles, porque o vosso Pai celeste sabe do que necessitais antes de vós lhe pedirdes. Rezai, pois, assim: ‘Pai nosso, que estás no Céu, santificado seja o teu nome, venha o teu Reino; faça-se a tua vontade...’ Porque, se perdoardes aos homens as suas ofensas, também o vosso Pai celeste vos perdoará a vós. Se, porém, não perdoardes aos homens as suas ofensas, também o vosso Pai vos não perdoará as vossas”.

Assim como dizemos ‘Pai nosso’ porque Ele é o Pai dos que têm fé, também chamamos a Cristo de ‘nosso Pão’ porque Ele é o alimento dos que comungam o Pão Vivo que desceu do Céu. Comendo desse Pão, estaremos aceitando o Plano de Deus para vivermos eternamente em Seu amor.

 

 

 

 

PAULO ROBERTO LABEGALINI - Escritor católico, Professor Doutor da Universidade Federal de Itajubá-MG. Pró-reitor de Cultura e Extensão Universitária da UNIFEI.

 



publicado por Luso-brasileiro às 13:31
link do post | favorito

Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres




mais sobre mim
arquivos

Dezembro 2020

Novembro 2020

Outubro 2020

Setembro 2020

Agosto 2020

Julho 2020

Junho 2020

Maio 2020

Abril 2020

Março 2020

Fevereiro 2020

Janeiro 2020

Dezembro 2019

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

pesquisar
 
links