PAZ - Blogue luso-brasileiro
Sábado, 7 de Julho de 2018
PÉRICLES CAPANEMA - ESCORRAÇAR MARAJÁS A VASSOURADAS

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Péricles Capanema.jpg

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Jânio Quadros (1960) e Fernando Collor de Mello (1989) se elegeram despregando a bandeira do combate à corrupção. Fácil de compreender, o assunto irrita pronto, o eleitor logo se sente lesado e responde no voto. Votos de protesto, “contra tudo o que está aí”.

 

“Varre, varre, vassourinha / Varre, varre a bandalheira / Que o povo já tá cansado / De sofrer dessa maneira / Jânio Quadros é a esperança desse povo abandonado / Jânio Quadros é a certeza de um Brasil moralizado / Alerta, meu irmão / Vassoura, conterrâneo.”

 

O “caçador de marajás” calcou a mesma tecla. “Essa vidinha tão boa / Vai terminar / Olha que tá chegando o homi / caçador de marajá.” Marajá, para quem não sabe, era o funcionário público privilegiado, altos salários, estabilidade, férias garantidas e prolongadas.

 

Corto, deixo o passado, volto à eleição do México no último 1º de julho. Existem pontos importantes ainda a tratar, podem ajudar a compreender a confusão da situação brasileira.

 

As denúncias da corrupção generalizada elegeram Andrés Manuel López Obrador (AMLO) no México, desaguou nele o voto “contra tudo o que está aí”, Establishment político, conluios, roubalheira, violência. Contou ainda a promessa de acabar com a impunidade. Como no caso de Jânio e de Collor.

 

Três anos depois de fundado, o MORENA (Movimento de Regeneração Nacional) conquistou a Presidência da República, conseguiu maioria na Câmara e no Senado, a prefeitura da Cidade do México. Das oito eleições estaduais, venceu em quatro.

 

Para vencer, o MORENA quis ter aliados à direita. Uniu-se ao PES (Partido do Encontro Social), agrupação ancorada na chamada direita evangélica, conservadora em temas morais e sociais (família, aborto, casamento homossexual). Em seu primeiro discurso, o presidente eleito tranquilizou: “Não agiremos de forma arbitrária, não haverá confiscação nem expropriação de bens. Erradicar a corrupção e a impunidade será a missão principal do novo governo.” Palavras anestesiantes. Quem pode ser a favor da corrupção? Quem quer a impunidade?

 

Caso AMLO coloque ênfase nas medidas propriamente de esquerda, mesmo no terreno moral, como favorecimento do casamento homossexual, facilidades para o aborto, dificuldades maiores para a família tradicional, o povo o rejeitará. Por quê? A eleição favoreceu a esquerda, é verdade, mas não evidenciou migração da opinião pública para a esquerda. Mostrou apenas que não teme favorecê-la para obter o que deseja. Caiu a rejeição à esquerda nesta eleição, sem aumentar o apoio e a simpatia. Continuando frágil a sustentação esquerdista, AMLO tem pouco espaço de manobra, precisará pisar em ovos para não se isolar. E medidas muito radicais lançarão rapidamente a opinião pública contra ele.

 

Futuro? Dependerá de como vai reagir o povo mexicano. Mas não só.  Não convém irritar em demasia o vizinho do Norte, para lá vão 80% das exportações mexicanas. Tem a respeito proposta potencialmente explosiva: a aproximação com a China. Obrador manifestou intenção de investir 5% do PIB em infraestrutura (a porcentagem atual é 2,6%). Não existe dinheiro.  saída: “A China está muito interessada em investir em projetos mexicanos”. Caminhará por aí? Como reagirão os Estados Unidos?

 

Em resumo, o programa do novo governo será sempre retroceder no rumo da esquerda na economia, nos costumes, nas leis. Dois fatores podem minorar o desastre: reações vivas nos Estados Unidos e na opinião pública interna.

 

Falava do Brasil. Aqui também a eleição pode ser resolvida com base na exasperação justa contra a corrupção e a violência, na ânsia de que acabe a impunidade. Não custa lembrar, apenas 15% dos homicídios têm autoria esclarecida. No roubo à mão armada, de 1 a 2%. A mais, estima-se que a maioria dos assaltados nem vá à delegacia, sabe que não vai adiantar nada. A elucidação do crime do colarinho branco está no mesmo patamar.

 

Três lições: eleição de Jânio, de Collor e de Obrador. É pouco, para dizer o mínimo, votar apenas com esteio na exasperação emocional contra a corrupção, violência e impunidade, contra “tudo o que está aí”. Moral da história, escorraçar marajás a vassouradas pode até ser bom começo, mas não garante porto seguro. Faltam três meses para aportar, o barco está na tempestade. Se houver desorientação na hora de escolher o porto, teremos retrocessos pela frente. Como no México, mesmo com a opinião pública com fortes traços conservadores, por falta de rumos, o povo pode acabar sufragando o populismo, a demagogia, candidatos de esquerda.

 

 

 

 

PÉRICLES CAPANEMA é engenheiro civil, UFMG, turma de 1970, autor do livro “Horizontes de Minas"

 

 



publicado por Luso-brasileiro às 18:29
link do post | comentar | favorito

mais sobre mim
arquivos

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

pesquisar
 
links