PAZ - Blogue luso-brasileiro
Domingo, 31 de Janeiro de 2016
RENATA IACOVINO - LEMBRANÇAS PALPÁVEIS

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Papéis, papéis, papéis... fui uma colecionadora ávida de papéis. De tudo quanto é tipo.

Rascunhos, com rabiscos, cartões, cartas, grande, pequeno, amassado, postais, revistas, artigos, jornais, cópias do que me interessasse e eu não podia ter o original, envelopes, livros, livros, livros, cadernos, álbuns, fotografias, programas e ingressos de espetáculos, gibis, certificados, diplomas, encartes de discos, caixas, selos, bilhetes...

Seria possível escrever minha história por meio deles. Organizá-los numa linha do tempo e atiçar a memória com tantas passagens que talvez, se deixar só por conta da cabeça, não seja possível lembrar de forma nítida.

Mas, tais objetos físicos necessitam de espaço. Ao contrário do que vivenciamos hoje, que nossas lembranças, nossa história, boa parte do que possuímos ou somos, nada disto requer espaço... Pelo menos não o espaço palpável, passível de ser olhado.

Voltando à linha do tempo, muitos desses contadores de história não existem mais. Em algum momento, com o coração apertado ou lágrimas nos olhos, eles se foram... rasgados, amassados, queimados, doados. Principalmente quando tivemos que sair da casa para um apartamento. Muito de mim se foi ali.

Curioso imaginar que, embora o apego a essas criaturas mágicas sempre tivesse existido, eu os via como algo assim... sem vida.

Hoje, quando de um lado vejo tudo ser arquivado virtualmente, e do outro os resquícios de uma história contada em papéis de verdade, parece que estes são tão próximos de mim que chegam a criar um laço afetivo. Penso que isso nem seja ruim, dada a falta de afetividade que anda nos cercando.

Claro que guardar bilhetes, rascunhos, declarações, confissões e demais minúcias de uma vida, é típica de quem tem um perfil sentimental, romântico, nostálgico. E creio, também, de alguém que sempre amou as palavras e aquilo que é possível vermos brotar delas.

Adorava abrir uma gaveta aqui, outra ali, e vê-las abarrotadas de papéis, de pequenos objetos... de um enredo maravilhoso!

Depois essas gavetas foram sendo abertas com menos frequência... mais adiante o amarelado começou a pintar as folhas, os jornais. E quanto mais isto acontecia, mais eu sentia que valor ali havia.

O que guardamos hoje em dia, guardamos sem tocar. Porém, o que vale é a memória que conseguimos manter disso que temos.

 

 

RENATA IACOVINO, escritora e cantora / reiacovino.blog.uol.com.br /http://reval.nafoto.net / reiacovino@uol.com.br

 

 

 



publicado por Luso-brasileiro às 19:38
link do post | comentar | favorito

mais sobre mim
arquivos

Dezembro 2020

Novembro 2020

Outubro 2020

Setembro 2020

Agosto 2020

Julho 2020

Junho 2020

Maio 2020

Abril 2020

Março 2020

Fevereiro 2020

Janeiro 2020

Dezembro 2019

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

pesquisar
 
links